carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Terminal nega violação de contêiner da Petrobras

Representantes do terminal de cargas Poliportos negaram hoje, em depoimento na Polícia Federal, que tenha ocorrido violação do contêiner e da caixa com dados da Petrobras no período em que elas permaneceram no porto, no Rio. Policiais que acompanham o inquérito haviam considerado o terminal como o local mais provável do roubo. "Para a Poliportos não houve qualquer quebra de lacre ou destruição de cadeado no terminal. A carga chegou e saiu sem nenhum tipo de rompimento ou quebra de lacre", disse, por diversas vezes, o advogado Luiz Henrique Damazo. Ele acompanhou os oito conferentes da empresa intimados a prestar depoimento.Os conferentes foram interrogados, na Superintendência do DPF no Rio, pela delegada Carla Dollinski, que preside oficialmente o inquérito aberto na Delegacia de Macaé. Paralelamente, delegados e agentes do Setor de Inteligência vistoriavam o terminal de cargas, junto com peritos federais. O resultado da inspeção não foi revelado. As informações relevantes sobre o poço de Júpiter, recém-descoberto pela Petrobrás na Bacia de Santos, estavam em dois discos rígidos de um computador e em quatro notebooks, furtados no percurso entre a plataforma NS-21 e a sede da empresa americana Halliburton, em Macaé. O computador foi transportado em uma caixa de viagem. Os notebooks estavam no container número SU96071.

MARCELO AULER, Agencia Estado

22 de fevereiro de 2008 | 20h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.