finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Termômetro Broadcast Bolsa: Mercado está mais conservador sobre Ibovespa

Entre 20 participantes, a perspectiva de que o índice fechará o período entre 9 e 13 de dezembro com perdas atingiu 30%

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2019 | 04h00

A expectativa de queda para o Ibovespa na próxima semana teve um salto no Termômetro Broadcast Bolsa. Entre 20 participantes, a perspectiva de que o índice fechará o período entre 9 e 13 de dezembro com perdas atingiu 30,00%. Na pesquisa anterior, só 9,09% esperavam baixa para as ações nesta semana, em que o índice renovou recordes históricos de fechamento, superando os 111 mil pontos. 

Em contrapartida, a percepção de ganhos caiu de 54,55% para 50,00%. Houve ajuste ainda na perspectiva de estabilidade, de 36,36% para 20,00%. A Bolsa fechou a semana com alta acumulada de 2,67%.

O Termômetro Broadcast Bolsa tem por objetivo captar o sentimento de operadores, analistas e gestores para o comportamento do Ibovespa na semana seguinte.

A próxima semana será marcada por decisões de políticas monetárias no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa. Na quarta-feira, o Comitê de Política Monetária (Copom) decide o futuro da Selic e, por sua comunicação recente, deve ser reduzida de 5,0% para 4,50% ao ano. Na pesquisa realizada pelo Projeções Broadcast, 59 instituições veem corte de 0,50 ponto porcentual na Selic e uma, queda de 0,25 ponto.

Na mesma quarta-feira, o Federal Reserve (banco central americano) também decide sobre a taxa de juros nos Estados Unidos. A expectativa é de manutenção da taxa na faixa de 1,5% a 1,75%. 

Na quinta, haverá reunião do Banco Central Europeu (BCE). "A decisão do BCE não deverá surpreender, com as atenções voltadas para o estilo de comunicação de Christine Lagarde, que terá sua primeira reunião de política monetária no comando da instituição", disseram analistas do Bradesco.

Por fim, é grande a expectativa sobre um acordo comercial entre a China e os Estados Unidos. No dia 15, entra em vigor o aumento de tarifas impostas ao país asiático.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.