Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Ternium anuncia compra da CSA e espera desembolsar € 1,26 bi

Empresa que hoje pertence à alemã Thyssenkrupp possui dívida de € 300 mi com o BNDES

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2017 | 21h32

A Ternium, uma das sócias controladoras da Usiminas no Brasil, acaba de fechar acordo para a compra da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), da alemã Thyssenkrupp. Tendo em vista a dívida da CSA com o BNDES, de cerca de € 300 milhões, a Ternium espera desembolsar € 1,26 bilhão com a transação. O início da tratativas entre as empresas havia sido antecipado pela Coluna do Broad.

Essa não foi a primeira vez que a Ternium tentou adquirir a operação, localizada no Rio de Janeiro. Há alguns anos, o grupo alemão havia colocado à venda a CSA juntamente com sua laminadora de aço nos Estados Unidos, no Alabama, mas a Thyssen vendeu essa unidade em separado. A Ternium possui déficit de placas em sua operação no México. 

A compra, ainda, aumenta as especulações sobre uma separação da Usiminas, tendo em vista que Ternium e Nippon Steel, sócias controladoras da Usiminas, vivem uma briga societária há mais de dois anos. A unidade da Usiminas em Cubatão, que está com a atividade primária paralisada há mais de um ano, precisa hoje de placas de terceiros para laminar. Assim, a usina e a CSA têm sinergias.

Conforme comunicado enviado pela Ternium, a unidade adquirida no Brasil seguirá com o acordo de fornecimento de 2 milhões de toneladas de placas por ano para a antiga planta de laminação da Thyssenkrupp, Calvert, no Alabama. O preço da transação foi fixado utilizando 1,5 bilhão de euros como valor da empresa e 30 de setembro de 2016 como data de referência de balanço, e está sujeito, no fechamento da operação, aos ajustes acordados. A transação precisa ser aprovada pelas autoridades concorrenciais em algumas jurisdições, incluindo Brasil, Alemanha e os Estados Unidos, além de outras condições, e a expectativa é que seja concluída até 30 de setembro de 2017.

"Ao concluir essa transação, a Ternium está incorporando mais uma usina siderúrgica de última geração ao seu parque industrial. Isso vai permitir aumentarmos nossa diferenciação. A especialização dessa planta em placas de aço de alta tecnologia, combinado ao desenvolvimento de produto, ao gerenciamento da cadeia de fornecimento e à nossa capacidade de produção de aço high-end no México e na Argentina, vão possibilitar novas oportunidades de integração para a fabricação de produtos de aço acabados sofisticados para nossos clientes. Isso, por sua vez, vai fortalecer nosso negócio em setores industriais estratégicos na América Latina", destaca, em nota, o presidente da Ternium, Daniel Novegill.

A CSA possui capacidade anual de produção de 5 milhões de toneladas de placas de aço. Com uma produção de aço bruto de 6 milhões de toneladas e despachos de 9,8 milhões de toneladas, a Ternium comprou aproximadamente 3,7 milhões de toneladas de placas de aço de terceiros em 2016. A Ternium informou ainda que irá financiar a aquisição com empréstimos bancários. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.