Terra quebrou contrato sobre joint venture, diz IDT

A denúncia da IDT Corp. contra a Telefónica e a Terra Networks diz que os acordos de joint venture entre a IDT e a Terra, assinados em outubro de 1999, previam o estabelecimento de um provedor de acesso à Internet do qual a Terra controlaria 51% e a IDT, 49%; o portal na Internet teria 90% controlados pela Terra e 10% sob controle da IDT. Segundo a IDT, a Terra não pagou US$ 30 mi que havia prometido e "recusou-se a participar ou cooperar com quaisquer esforços feitos pela IDT" para concretizar a joint venture, o que caracterizaria rompimento de contrato. A IDT também argumenta que a Terra cometeu fraude ao indicar o valor de suas ações e ao esconder as negociações com a Lycos. Segundo a IDT, a Telefónica ordenou que a Terra fizesse várias indicações errôneas de valor durante as conversações para o cancelamento do acordo para as joint ventures. No processo aberto no Tribunal Distrital Federal de Nova Jersey, a IDT reivindica uma indenização por perdas de US$ 1,5 bi e uma indenização punitiva de US$ 4,5 bi. Segundo a Dow Jones, a Telefónica e a Terra Lycos informaram que não fariam declarações sobre o caso agora e que estão estudando o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.