Tesouro afirma que vai atuar ‘o quanto for necessário’

‘Não há limite’ para a realização de leilões de recompra de títulos, disse técnico do governo

Laís Alegretti e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

20 de junho de 2013 | 19h25

BRASÍLIA - O Tesouro Nacional informou que "não há limite" para a realização de leilões extraordinários de recompra de títulos e que atuará "o quanto for necessário" para dar parâmetro de preço ao mercado. Segundo a área técnica, o Tesouro vai atuar "enquanto o mercado estiver volátil e precisar de parâmetros".

Um técnico do Tesouro afirmou que os leilões feitos nesta quinta-feira, 20, atenderam às expectativas do órgão. "Fizemos ofertas que consideramos adequadas e a demanda foi até inferior. Consideramos que estamos no caminho certo", disse. "Mas, entendemos ainda ser necessário fazer alguns leilões para dar parâmetro de preços", enfatizou.

Para o Tesouro Nacional, é prematuro afirmar que a estratégia de financiamento da dívida pública estabelecida no Plano Anual de Financiamento (PAF) está comprometida. Segundo o técnico, há uma estratégia de médio e longo prazos e o órgão faz agora uma ação extraordinária que tem benefícios futuros. "É prematuro dizer que mudou a estratégia. É lógico que estamos adequando. Julgamos necessários (os leilões extraordinários) porque têm benefícios claros, que é dar parâmetros ao mercado", disse o porta-voz.

Na avaliação do Tesouro, quanto mais cedo o mercado se estabilizar, será bom "para todo mundo" e para o Tesouro, que tem que se financiar. O Tesouro diz que tem fôlego para enfrentar a volatilidade e folga de caixa relevante.

Tudo o que sabemos sobre:
Tesouroleilões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.