Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Tesouro age e cancela venda de títulos prefixados para controlar volatilidade

Em comunicado ao mercado, o Tesouro informou que não realizará os leilões de venda de títulos prefixados (LTN) e papeis atrelados à taxa Selic (LFT)

Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2017 | 10h49

BRASÍLIA - Numa primeira ação em meio às incertezas provocadas pelas denúncias contra o presidente Michel Temer, o Ministério da Fazenda anunciou o cancelamento de leilões de títulos prefixados do Tesouro. Em comunicado ao mercado, o Tesouro informou que não realizará os leilões de venda de títulos prefixados (LTN) e papeis atrelados à taxa Selic (LFT).

Essa estratégia visa tentar controlar a volatilidade diante das turbulências causadas pelas revelações de Joesley Batista, dono da JBS.

Foram canceladas a LTNs com prazos de vencimentos em 01/04/2018, 01/04/2019 e 01/07/2020 e LFT, com vencimento em 01/03/2023. Os leilões estavam programados para hoje.

Bovespa cai 10% na abertura do pregão e interrompe negociações

O Tesouro informou que realizará entre os dias 19 e 23 de maio leilões extraordinários de compra e de venda de Letras do Tesouro Nacional (LTN), Notas do Tesouro Nacional - Série F (NTN-F) e Notas do Tesouro Nacional - Série B (NTN-B), em razão da volatilidade observada no mercado. Serão LTN para 1/4/2019, 1/4/2019 e 1/7/2020; NTN-B para 15/8/2022, 15/8/2026, 15/5/2035 e 15/5/2055; e NTN-F para 1/1/2023 e 1/1/2027. "As portarias dos referidos leilões serão divulgadas na data de realização das respectivas ofertas", afirma nota do Tesouro.

Quando há grande volatilidade dos mercados, o Tesouro adota a estratégia de suspender os leilões e, em momentos mais críticos, pode anunciar a recompra de títulos que estão nas mãos dos investidores. A percepção é de que o momento é muito grave e a equipe econômica quer sinalizar que está preparada para agir com rapidez, com todos os instrumentos de que dispõe.

Área econômica já analisa impacto de acusações

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, está em seu gabinete acompanhando a evolução do mercado e cumprindo a agenda oficial. Ele já se reuniu nessa manhã com representantes do Fundo Monetário Internacional (FMI) que estão no País justamente para uma avaliação da economia brasileira.

Meirelles e sua equipe trabalham com dias de grande instabilidade nos mercados. "Estamos todos tateando pra ver a extensão da volatilidade", disse uma fonte da área econômica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.