Tesouro: alta do juro terá impacto de R$ 2,9 bi na dívida

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, disse hoje que a alta de 0,5 ponto porcentual na taxa básica de juros (Selic) tem um impacto de R$ 2,9 bilhões em 12 meses, na parcela da dívida pública indexada à taxa. Ele disse que não é possível mensurar o impacto da elevação dos juros básicos na dívida como um todo, porque ela é remunerada por vários indicadores. Mas ressaltou que hoje a parcela vinculada à taxa Selic é bem menor do que no passado.Augustin participa de audiência pública na Comissão Mista de Orçamento do Congresso. Ele disse que o governo não tem intenção de alterar a meta de superávit primário de 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB) para 2008 e 2009. O superávit primário é a economia que o governo faz para o pagamento de juros da dívida.Em relação à economia brasileira, diante da crise internacional, Augustin destacou que o Brasil está numa rota importante de crescimento, com uma forte expansão dos investimentos e que por isso tem convicção de que o processo de crescimento vai continuar. "O Brasil tem reagido de forma positiva em relação à turbulência externa internacional", disse Augustin. Questionado sobre a evolução da taxa de câmbio, Augustin disse apenas que o governo vem adotando medidas para melhorar a competitividade da economia, como foi o caso da retirada da cobrança do IOF sobre exportações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.