Tesouro: Brasil eleva sua nota de risco de crédito

Em comunicado divulgado nesta quinta-feira, o Tesouro Nacional informou que o Comitê de Crédito à Exportação, da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), elevou a nota de risco de crédito do Brasil. Com a decisão, o Brasil atinge a melhor posição desde a criação da classificação, em 1999. No comunicado, o Tesouro não especifica qual a nova nota de risco de crédito do Brasil.Segundo o Tesouro, a classificação feita pela OCDE tem como objetivo permitir aos países participantes uma cobrança de prêmio adicional à taxa de juros do financiamento, que cubra o risco de não-pagamento do crédito à exportação, chamado de risco de crédito."A melhora no rating tem reflexos no nível de investimento do País, já que, com a redução dos prêmios cobrados nos empréstimos pelas agências de crédito à exportação, o financiamento da atividade produtiva fica mais barato", afirma o comunicado do Tesouro.O Comitê de Crédito da OCDE não divulga as razões que levaram à mudança na classificação. Para o Tesouro, o avanço observado, aliado aos recentes upgrades concedidos pelas agências de rating, é um reconhecimento dos contínuos progressos obtidos na economia brasileira nos últimos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.