Tesouro comemora baixa da dívida interna de curto prazo

O coordenador de planejamento estratégico da dívida pública, Otávio Medeiros, avaliou hoje que a redução da parcela da dívida interna em títulos a vencer em 12 meses para um patamar inferior a 30% é um sinal "muito importante" para avaliação da melhora do perfil do endividamento público. Ele destacou que este é um importante indicador observado pelas agências de classificação de risco para avaliar o risco de financiamento da dívida no curto prazo. A parcela da dívida a vencer em 12 meses corresponde à dívida de curto prazo. É a primeira vez que este indicador cai abaixo de 30% desde o período que o Tesouro começou a avançar na substituição de papéis atrelados à Selic por papéis prefixados, considerados de menor risco para administração da dívida. Entre os anos de 2001 e 2002, a parcela a vencer em 12 meses estava abaixo de 30%, mas, naquele período, o motivo da redução foi a maior oferta de papéis atrelados à Selic (Letras Financeiras do Tesouro - LFT), com prazos mais longos. Agora, destacou Medeiros, a queda é importante porque foi feita com o alongamento dos prazos dos papéis prefixados e atrelados a índices de preços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.