Tesouro compra dólar, mas nega intervenção

O secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, garantiu hoje que as compras de dólar do Tesouro não significam uma intervenção no mercado de câmbio. "Não é essa a nossa intenção. Estamos fazendo as compras da forma mais homogênea possível. O Tesouro não fica jogando: subiu e desceu", afirmou.Ele não acredita que as compras estejam influenciando a cotação do dólar. "Fazemos muito ´lisinho´ para não ter efeitos no câmbio", disse o secretário, informando que essas compras são usadas para o Tesouro pagar compromissos. "No mercado de câmbio flutuante, cada vez mais cada um tem seu compromisso, vai no mercado e compra. Isso vale para o setor privado e para o Tesouro. A gente compra, emite e faz o que for necessário", disse.Ele negou que a ação do Tesouro seja para fortalecer as reservas. "As reservas internacionais não são para satisfazer compromissos de fulaninho e beltraninho. Reservas são elementos que ficam lá no Banco Central", afirmou. O secretário também descartou a tese de alguns economistas e investidores de que o Tesouro estaria sendo usado pelo Banco Central para segurar o dólar. "Nós não somos usados, não é isso que está acontecendo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.