Tesouro continua com prefixados de seis meses

Amanhã, o Tesouro Nacional faz novo leilão de títulos prefixados com prazo de seis meses. O secretário-adjunto do Tesouro, Rubens Sardenberg, disse que optou pelo conservadorismo ao manter esse prazo. Ele prefere esperar pelo resultado da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) e pelo que vai definir a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), nessa semana. Sandenberg quer saber como o mercado vai reagir às duas decisões para traçar a estratégia de títulos prefixados do Tesouro Nacional. Além disso, citou também a reunião do banco central norte-americano (FED), que ocorrerá em 27 e 28 de junho, como outro motivo para a cautela. Sardenberg destaca também que o Tesouro acabou de retomar a oferta de títulos prefixados, depois de cinco semanas sem vender o papel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.