Tesouro dá "um tempinho" na venda de títulos

O secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, afirmou hoje que o cancelamento de hoje do leilão de títulos públicos pós-fixados (NTN-B) teve como causa "um tempinho para as coisas se acalmarem". Para ele, o Tesouro tem "uma margem de liberdade suficiente para não precisar estressar o mercado a qualquer momento".Sobre o vencimento de R$ 31 bilhões em títulos pré-fixados (LFTs) no próximo dia 19, o secretário disse que deve conseguir alcançar o teto de oferta previsto para o mês no valor de "vinte e pouco bilhões de reais" e que a rolagem não será no volume integral dos vencimentos devido às antecipações feitas pelo Tesouro.Levy reiterou que a turbulência dos mercados financeiros parece estar entrando em um momento de acomodação, após o susto sobre a alta dos juros norte-americano. "Não tenho uma bolinha de cristal para saber se o ajuste já acabou ou não. As coisas estão avançando, estão bem e não vejo uma preocupação excessiva no mercado", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.