Tesouro descarta empréstimo e BNDES reclama

O secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, afirmou hoje que a capitalização do BNDES "não está sendo considerada neste momento". Levy deu a declaração ao deixar a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, onde participou de audiência pública com o presidente do BNDES, Carlos Lessa, sobre operação de crédito do banco para a Prefeitura de São Paulo.Apesar da negativa, Lessa insistiu na necessidade de o Tesouro fazer um aporte de capital, porque o banco atingiu o limite de 45% de financiamentos que podem ser concedidos em relação ao seu patrimônio líquido. A maior problema do banco, disse, é dívida não quitada pela norte-americana AES, que controla a Eletropaulo.Levy afirmou que com a recuperação do mercado de capital, outras reservas do BNDES se multiplicaram de maneira significativa. Para o secretário do Tesouro, o banco não está emprestando tudo o que poderia pela inexistência de demanda qualificada. Segundo Lessa, há duas soluções para o problema: a capitalização ou a solução da dívida da AES. O presidente do BNDES disse esperar apenas uma "grande" capitalização, mas que a questão é da alçado do "dono do banco", o Tesouro Nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.