USP Imagens
USP Imagens

Tesouro Direto registra 10,5 mil novos investidores em maio

Número total de investidores ativos avançou 91% nos últimos doze meses; venda líquida no mês foi de R$ 761,8 milhões em títulos

Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

24 Junho 2016 | 11h37

BRASÍLIA - O número total de investidores cadastrados no Tesouro Direto ao fim do mês de maio atingiu 768.617, um aumento de 51,2% nos últimos doze meses, informou a Secretaria do Tesouro Nacional. Já o número de investidores ativos – aqueles que efetivamente possuem aplicações – chegou a 294.386, um avanço de 91,6% nos últimos doze meses. No mês passado, 10.509 novos investidores ativos ingressaram no programa, segundo o relatório.

Apenas em maio, as vendas do Tesouro Direto atingiram R$ 1,4 bilhão. Já os resgates totalizaram R$ 638,2 milhões. Com isso, houve venda líquida de R$ 761,8 milhões em títulos, abaixo do mês de abril, quando o total ficou em R$ 884 milhões.

Os títulos mais demandados pelos investidores foram os indexados ao IPCA (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais), cuja participação nas vendas atingiu 62,3% no mês. Os títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) corresponderam a 12,4% do total, e os indexados à taxa Selic (Tesouro Selic), a 25,3% das vendas.

Em relação ao prazo de emissão, 62,1% das vendas no Tesouro Direto em maio corresponderam a títulos com vencimentos entre um e cinco anos. As vendas de títulos com prazo acima de dez anos representaram 26,1% do total, enquanto as com prazo entre cinco e dez anos responderam por 11,8% das vendas.

A Secretaria do Tesouro Nacional destaca ainda que 69,8% das vendas de títulos em maio foi de até R$ 5 mil, o que mostra o "número considerável" de pequenos investidores que utilizam o programa. Ao todo, foram realizadas 127.443 operações de venda no mês, e o valor médio por operação ficou em R$ 11.248,07.

Em relação ao estoque, o Tesouro Direto alcançou em maio um montante de R$ 31,7 bilhões, aumento de 3,7% em relação a abril (R$ 30,5 bilhões) e avanço de 84,4% sobre maio de 2015 (R$ 17,2 bilhões). Os títulos remunerados por índices de preços respondem pelo maior volume no estoque, alcançando 61,6%. Na sequência, aparecem os títulos indexados à taxa Selic, com participação de 20,5% e os títulos prefixados, com 17,9%.

Em relação à composição do estoque por prazo, 10,9% dos títulos vencem em até um ano. A maior parte, porém, é composta por títulos com vencimento entre um e cinco anos (58,0%). Os títulos com prazo entre cinco e dez anos correspondem a 14,2% do total do estoque, e os com vencimento acima de 10 anos representam 16,9%.

Mais conteúdo sobre:
Finanças Pessoais Renda Fixa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.