Tesouro dos EUA "ansioso" para conhecer plano argentino

Os EUA têm "esperança" de que a Argentina implemente as medidas econômicas necessárias para estabilizar sua economia e estão "ansiosos" para que o novo governo mostre os contornos de seu plano, disse o secretário do Tesouro norte-americano, Paul O´Neill. "Estamos ansiosos para que o novo governo articule e coloque em prática um programa econômico sustentável que traga a estabilidade de volta à Argentina e o retorno do crescimento ao país", disse O´Neill, em sua primeira declaração sobre a Argentina desde que o país anunciou, no domingo, a desvalorização do peso em 29%. O secretário não comentou nenhum ponto específico das propostas econômicas anunciadas pelo presidente argentino, Eduardo Duhalde, ou sobre se o FMI poderá dar nova assistência ao país. Ao invés disso, O´Neill disse que espera que o país implemente, em breve, novas medidas, que tenham como objetivo ajudar a tirar o país da recessão, que já dura quatro anos. "Temos esperança de que as medidas serão adotadas logo, que são parte de uma base crível para o FMI proporcionar assistência financeira", disse O´Neill. Uma porta-voz do Tesouro disse na segunda-feira que o subsecretário para Assuntos Internacionais, John Taylor, manteve contato com autoridades argentinas na sexta-feira depois que Duhalde anunciou seu novo plano. "Temos estado absolutamente comprometidos... com as pessoas na Argentina, incluindo o novo presidente e o novo ministro de Finanças", disse O´Neill. Leia o especial

Agencia Estado,

09 de janeiro de 2002 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.