carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Tesouro: investidor já vê País como grau de investimento

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, avaliou hoje que os títulos brasileiros são um produto para os fundos soberanos dos países, que têm a finalidade de aplicar recursos de governos, como reservas internacionais e superávits comerciais. Segundo ele, os investidores já olham o Brasil como tendo o grau de investimento pelas agências internacionais de classificação de risco."A imagem do Brasil no mercado internacional é cada vez mais positiva. Isso vai se refletir mais dia ou menos dia pelas agências internacionais (de classificação de risco)", disse. Para ele, esse desempenho favorável se destacou em um atual momento de turbulências externas. "O mercado se antecipou e percebeu antes essa avaliação positiva", disse Augustin.Receitas e despesasEm relação aos dados do governo central divulgados hoje, Augustin disse que não se pode esperar que o comportamento das despesas e receitas do Governo Central se mantenha elevadas ao longo do ano. "Ressalto isso para evitar previsões otimistas demais", disse o secretário. As receitas do governo central cresceram 23,9% no mês passado em relação a janeiro de 2007, influenciadas pela arrecadação recorde da Receita Federal, e as despesas, 20,3%. Augustin destacou que o resultado primário nos meses de janeiro é "usualmente o maior primário do ano". Ele chamou de "atipicidade tributária" o expressivo aumento das receitas decorrente, segundo o secretário, do bom momento da economia brasileira. "Janeiro teve uma atipicidade importante. O orçamento de 2008 não foi aprovado, mas principalmente o fato de a receita de janeiro ter sido bastante expressiva decorrente do extraordinário momento da economia brasileira", afirmou. Para o secretário, o desempenho das contas reforça a linha em que o governo vem trabalhando. "Temos dito desde o início da turbulência internacional que a economia brasileira iria suportar muito bem e isto está sendo demonstrado em vários indicadores", disse, lembrando que o Brasil passou a ser credor internacional.

ADRIANA FERNANDES E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

27 de fevereiro de 2008 | 11h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.