Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Tesouro Nacional anuncia emissão de títulos no mercado externo

Captação de recursos acontece em meio à necessidade do governo de bancar os custos extras no combate à pandemia; resultado da operação será divulgado ainda nesta quarta-feira

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2020 | 11h52

BRASÍLIA - O Tesouro Nacional anunciou nesta quarta-feira, 2, uma emissão externa de títulos soberanos brasileiros em dólares. De acordo com o comunicado do órgão, serão feitas reaberturas de papéis com vencimento em cinco anos (Global 2025), 10 anos (Global 2030) e 30 anos (Global 2050). 

A captação de recursos no mercado externo acontece em meio à necessidade do governo de se financiar para bancar os custos extras no combate à  pandemia do novo coronavírus (o rombo previsto para este ano nas contas públicas é de R$ 844 bilhões) e em um momento de trégua nas tensões financeiras, com anúncios de progresso nas vacinas e a vitória do democrata Joe Biden nas eleições dos Estados Unidos.

“O objetivo da operação é dar continuidade à estratégia do Tesouro Nacional de promover a liquidez da curva de juros soberana em dólar no mercado externo, provendo referência para o setor corporativo, e antecipar financiamento de vencimentos”, informou o Tesouro Nacional.

A operação será liderada pelos bancos Citibank, Santander e ScotiaBank. De acordo com o órgão, os títulos serão emitidos no mercado global e o resultado será divulgado ainda nesta quarta.

A última captação externa havia sido feita pelo Tesouro Nacional no início de julho, quando foram vendidos US$ 3,5 bilhões de títulos da dívida externa, com vencimento de 5 anos e 10 anos.

Na ocasião, o bônus com vencimento em 2025 foi vendido com taxa de retorno de 3% ao ano. O de 10 anos foi emitido com taxa de retorno ao investidor de 4% ao ano. 

Em novembro de 2019, o Tesouro havia emitido pela primeira vez o Global 2050, novo papel com vencimento de 30 anos. No ano passado, o órgão fez duas emissões externas, em março e em novembro, captando, respectivamente, US$ 1,5 bilhão e US$ 3 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.