Tesouro Nacional capta US$ 500 milhões com global de 10 anos

Taxa de retorno ficou em 4,75%, segundo pessoas próximas da operação

Regina Cardeal,

15 de dezembro de 2009 | 16h02

O Brasil lançou US$ 500 milhões em bônus globais com vencimento em 2019, projetando yield (rendimento para o investidor) de 4,75%, segundo fonte próxima à transação. O Tesouro brasileiro anunciou esta manhã que estava reabrindo a emissão dos bônus soberanos para 2019, com os quais já havia captado US$ 1,775 bilhão. O cupom (juro nominal) é de 5,875%.

 

Os livros com o lançamento para Nova York e Europa foram fechados por volta das 11h locais em Nova York (14h de Brasília) e teriam atraído demanda superior à oferta. Pessoas próximas à emissão disseram que o Tesouro não tinha a intenção de aumentar o montante em oferta, mesmo se houvesse demanda forte. A emissão só poderá ser ampliada durante a sessão na Ásia em até 5% para os investidores que não puderam participar da transação por causa do fuso horário.

O Morgan Stanley e o Goldman Sachs são os líderes da emissão.

 

Os investidores dedicados a mercados emergentes mostraram interesse limitado, embora a maioria esteja amplamente otimista com a economia brasileira. "Estamos bastante otimistas com os fundamentos do Brasil como país", disse um grande gestor de fundos. "Mas o mercado já mais do que precificou isso; portanto, em geral, estamos underweight (com recomendação abaixo da média do mercado) em Brasil", disse. No entanto, ele disse que o fundo vai usar esta reabertura para reequilibrar sua carteira.

 

Kevin Daly, gestor de carteira de mercado emergente da Aberdeen Investment Managers, em Londres, disse que "O Brasil não rende nada, o yield está ridiculamente baixo", referindo-se aos termos da emissão. Os investidores mais interessados provavelmente são os fundos de bônus de governos globais e aqueles que precisam reequilibrar suas carteiras se tiverem muita posição cash no fim do ano, ele afirmou.

 

O Brasil emitiu originalmente o bônus para 2019 em janeiro com volume de US$ 1,025 bilhão. O bônus veio com cupom de 5,875% e yield de 6,13%. Em maio, o Tesouro reabriu a emissão, captando mais US$ 750 milhões, oferecendo yield de 5,8%. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
tesourocaptaçãobônusglobal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.