Tesouro Nacional quer vender título público pela Internet

O Tesouro Nacional quer estimular a venda de títulos públicos pela Internet e fazer desse tipo de aplicação uma opção importante de investimento para as pessoas físicas, como já acontece em muitos países. Além de aperfeiçoar a tecnologia de acesso ao programa de venda pela rede, o Tesouro deve lançar em breve uma campanha publicitária para torná-lo mais conhecido da população.A expectativa é de que até o final do ano a venda de títulos pelo ?Tesouro Direto? chegue a marca de pelo menos R$ 500milhões. O secretário do Tesouro, Joaquim Levy, garante que o ?Tesouro Direto? já se tornou uma das aplicações com maiorrentabilidade do mercado. ?É um dos melhores investimentos do mercado?, afirma. ?É imbatível em rentabilidade para investimentode longo prazo?, diz ele. Levy aposta na expansão do programa com o aperfeiçoamento tecnológico da plataforma de informáticade acesso pela Internet. A nova plataforma vai tornar mais rápida a compra dos papéis. Hoje, o investidor recebe, em no máximo 48 horas, a senha doprograma para fazer as compras dos títulos. Com as modificações, o cadastramento será ?on line?. Atualmente, são 74 agentesde custódia, entre bancos e corretoras, credenciados. Algumas dessas principais instituições já estão fazendo os últimos testespara colocar o sistema ?on line? e permitir que um maior número de pessoas adquiram os títulos do Tesouro de forma fácil ediretamente pela Internet.Antes do programa ser criado, as pessoas físicas praticamente só podiam comprar títulos públicos de forma indireta, por meiodos fundos de renda fixa. A venda direta dos títulos era restrita aos bancos, corretoras, distribuidoras e outras instituiçõesfinanceiras registradas no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) com volume mínimo de R$ 50 mil para a compra. No ?Tesouro Direto?, o investidor tem a disposição três tipos de títulos, com prazo de vencimento diferentes: Letra doTesouro Nacional (LTN), Letra Financeira do Tesouro (LFT) e Nota do Tesouro Nacional- série C (NTN-C). A LTN é um título de atédois anos com rentabilidade definida (taxa fixa) no momento da compra, conhecido no mercado como prefixado. A LFT temrentabilidade diária variável, vinculada à taxa de juros básica da economia, a Taxa Selic. Já a NTN-C é um papel comrentabilidade vinculada à variação do IGP-M, acrescida de juros definido no momento da compra, que é o ideal para osinvestimentos de mais longo prazos (de até 30 anos). Dos três títulos, a NTN-C é o único papel em que o Tesouro paga jurossemestrais. O pagamento é feito diretamente pelo Tesouro na conta corrente do aplicador e o investimento só e tributado nomomento do resgate. O secretário-adjunto do Tesouro, José Antônio Gragnani, diz que a maior vantagem do aplicador no ?Tesouro Direto? é ter umacarteira mais individualizada, se comparada com uma aplicação por meio de um fundo de investimento, além dos baixos custosde corretagem e custódia. ?Quando o investidor aplica no Tesouro Direto, o seu investimento varia de acordo com o que foiinvestido e com a rentabilidade do papel. Quando o investidor aplica no fundo, a cota varia de acordo com a entrada e saída dosoutros cotistas. Esse é um diferencial grande?, ressalta o secretário-adjunto. O segredo é saber balancear bem entre os papéis, a partir de uma idéia clara do tipo de investimento que se procura.Pelas regras do programa, se o investidor quiser se desfazer dos títulos poderá vendê-los ao Tesouro. A recompra é feita peloTesouro uma vez por semana, nas quartas-feiras, independentemente de quantidade, o que garante liquidez ao investimento. Ospreços dos títulos estão na página na Internet e chegam a ser alterados várias vezes ao dia, dependendo das condições de mercado.?Vendemos a preço de mercado. O preço que o investidor do Tesouro Direto compra é preço que o mercado está negociando?, dizGragnani. Cada instituição cadastrada no programa pratica a sua taxa de corretagem, que tem variado de 0% a 0,5%. Algumasinstituições, para atrair mais investidores, têm tido uma atuação mais agressiva e não cobram a taxa de administração. Segundodados do Tesouro, nos últimos 19 meses as vendas diretas alcançaram R$ 200 milhões com um total de 11.992 investidorescadastrados.Além dos Estados Unidos, Portugal, Espanha, Itália, Suécia, Japão são países que já adotaram programas semelhantes aobrasileiro. Nos Estados Unidos, o programa já é antigo e lá 2,9% da dívida pública estão nas mãos de pessoas que compraramdiretamente do governo. Por isso, o secretário-adjunto está tranquilo de que o programa no Brasil não cria concorrência indevidacom a indústria de fundos e de previdência complementar. ?Há espaço para todos?, afirma Gragnani.Como investir no Tesouro Direto - Cadastramento: 1- Para comprar noTesouro Direto, o investidor precisa primeiro cadastrar-se no programa por intermédio de uma instituição financeira.Na página do Tesouro Direto na Internet (www.tesourodireto.gov.br) , o investidor tem a relação das 81 instituições que já estãocredenciadas. 2 ? O investidor deve entrar em contato com a instituição financeira da sua escolha e solicitar o seu cadastramento noprograma. Por exemplo, se o investidor já for cliente de um banco credenciado, basta entrar na página da instituição na Internet eseguir as instruções de cadastramento. O investidor solicita o seu cadastramento pela Internet e recebe, no máximo em 48horas, um senha para operar diretamente com o Tesouro Direto. Com a nova plataforma que está sendo viabilizada, orecebimento da senha será on-line. Compras: 1 ? De posse da senha do Tesouro Direto, basta o investidor entrar no site do Tesouro e clicar nobotão de acesso às compras. 2 ? O investidor terá acesso a uma tela na qual deverá preencher os campos solicitados com o seu CPF e a senha. 3- A partir deste momento, o investidor entrará na área de acesso restrito aos investidores cadastrados. Siga as instruções datela e escolha a opção ?comprar? do menu. 4- Em seguida, o investidor terá acesso a uma tela na qual poderá consultar todos os títulos disponíveis para a compra, com osseus respectivos preços e taxas. 5- O investidor escolhe os títulos que deseja adquirir, mediante o clique no botão ?comprar? existente para cada título. 6- Informe a quantidade de títulos que deseja adquirir ou o valor total a investir, e clique no botão ?comprar? existente para cadatítulo. 7- Informe a quantidade de títulos que deseja adquirir ou valor total a investir e clique em ?incluir títulos na cesta?. 8 ? Confira os títulos e o valor total a ser pago e confirme as compras. 9 ? Imprima o boleto bancário e pague em qualquer banco até a data de vencimento. Após o pagamento, o investidor teráacesso diariamente ao seu extrato no próprio site.

Agencia Estado,

10 de agosto de 2003 | 11h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.