Tesouro vê com tranquilidade sustentação fiscal do PAC

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, afirmou hoje que tem "total tranquilidade" sobre a sustentação fiscal do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e dos investimentos que estão acontecendo no País. Segundo ele, o PAC é uma conquista do País porque significa um planejamento dos investimentos. "Independente de ser ano eleitoral ou não, nós temos a orientação para melhorar a área de investimento público. Isto é o PAC e não tem nenhuma relação com o fato de 2010 ser ano de eleição", afirmou o secretário.

RENATA VERÍSSIMO E ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

30 de março de 2010 | 16h43

Segundo ele, o importante é melhorar a infraestrutura do País para que ela se mantenha em linha com o crescimento econômico. Augustin afirmou que sem a melhoria da infraestrutura o País pode crescer com dificuldades. Ele destacou que o crescimento econômico é bom também para o resultado fiscal do País. "Até para o resultado fiscal é pior se o País crescer menos", afirmou.

No primeiro bimestre de 2010 houve um forte desembolso para o pagamento de investimentos públicos. Augustin não quis atribuir o déficit primário do governo central em fevereiro, de R$ 1,091 bilhão, a estes desembolsos. "Eu não atribuo aos investimentos, a despesa pública não pode ser analisada no mês", disse. Para o secretário, o resultado do governo central deve ser analisado no acumulado do ano porque indica a tendência do ano. "O ano de 2010 será melhor que 2009. Não gosto de fazer análise do mês. Mesmo fevereiro foi um bom resultado. O fato de ser negativo não significa nada, temos que ver que houve fatos sazonais em janeiro", afirmou. Augustin disse que espera um crescimento forte dos investimentos este ano e ainda maior em 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.