Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Tesouro vê "falta de perspectiva" do JP Morgan

Apesar de toda pressão por mais gastos, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva não deixará de cumprir as metas fiscais deste ano. ?O governo tem um compromisso inequívoco com as metas?, afirmou nesta sexta-feira o secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy. Segundo ele, limites serão impostos nas negociações com os servidores sobre reajustes salariais e as despesas, sob nenhuma hipótese, correm o risco de ficar ?à deriva?. Levy classificou como ?falta de perspectiva? a acusação feita pelo banco americano JP Morgan de pouco avanço na agenda de reformas do País.Na avaliação do secretário, são ?bastante pontuais? os reajustes pedidos até agora pelos servidores e as contrapropostas que estão sendo apresentadas pelo Executivo estão de acordo com a política de ajuste fixada. ?O governo tem reagido com serenidade e sem por em risco as metas fiscais?, garantiu. Segundo Levy, a equipe econômica pretende, em algum momento, ?replicar? para os militares a mesma estratégia montada para atender, ao menos em parte, as reivindicações feitas por melhorias salariais.Para Levy a alteração promovida pelo JP Morgan na recomendação sobre a dívida brasileira foi um movimento ?normal?, considerando a natureza da instituição. Mas deixou claro que as críticas feitas sobre a condução da agenda microeconômica não foram bem recebidas. ?O que eu acho um pouco de falta de perspectiva é dizer que não se avança com as reformas?, criticou. O secretário listou uma série de medidas já aprovadas como a aprovação do projeto que cria as Parcerias Público Privadas (PPPs) e o encaminhamento do projeto de lei das agências reguladoras. ?É surpreendente as pessoas sugerirem que não há reformas?, disse.Na avaliação do secretário, talvez por não ser ?tão visível?, a agenda micro não esteja sendo percebida por alguns agentes do mercado. ?Talvez estejamos falhando por não termos dado a ênfase adequada e traduzirmos logo para o inglês a proposta de lei de fortalecimento das agências?, ironizou. ?Com tanta coisa acontecendo no mundo e na China, talvez alguns analistas nem tenham notado a importância dessa e de outras iniciativas legislativas?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.