Têxteis fazem manifestações por reajuste salarial em SP

O Sindicato dos Têxteis de São Paulo realizou manifestações, na manhã de hoje, nas portas das fábricas do setor instaladas na capital paulista. Os atos tiveram como objetivo negociar o reajuste salarial da categoria, já que, segundo a entidade, não houve acordo com os representantes patronais. "Estamos tentando agora fazer negociações individuais com cada empresa", comentou o presidente do Sindicato dos Têxteis, Sérgio Marques.Segundo ele, até as 10 horas desta quarta-feira duas empresas da cidade tiveram suas atividades paralisadas por algumas horas. Em uma indústria do Ipiranga os funcionários cruzaram os braços das 5h30 às 7h30. Em outra empresa, no Parque Novo Mundo, os trabalhadores paralisaram suas atividades das 5h30 até às 10 horas.A intenção do Sindicato dos Têxteis de São Paulo, segundo explicou o presidente da entidade, é paralisar temporariamente as atividades em outras empresas durante a tarde.Segundo o presidente do sindicato, a reivindicação inicial dos têxteis era reposição integral da inflação (16,5% pelo INPC), mais 5% de aumento real. Diante da negativa das entidades patronais, segundo a Força Sindical, o sindicato fez outra proposta: 17% de reposição ainda este ano. As empresas, afirma o sindicato, aceitam conceder 9% de reajuste em novembro e 6,5% em março de 2004; A data-base da categoria é neste mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.