André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Texto da Reforma da Previdência proposta por Temer será considerado, diz Marinho

Futuro secretário especial da Previdência, Rogério Marinho disse que equipe vai usar bom senso e fará ajustes, mas texto já enviado ao Congresso será base

Lorenna Rodrigues, Adriana Fernandes, Eduardo Rodrigues e Idiana Tomazelli, O Estado de S. Paulo

02 de janeiro de 2019 | 15h47

BRASÍLIA - O futuro secretário especial da Previdência do Ministério da Economia, deputado Rogério Marinho, disse nesta quarta-feira, 2, que a equipe usará o “bom senso” e considerará utilizar o texto de reforma da Previdência enviado pelo ex-presidente Michel Temer, já em tramitação no Congresso Nacional.

“A proposta que aí está não é a ideal, serão feitos ajustes. Vamos construir um texto mais definitivo, mas vamos levar em consideração a economia processual”, afirmou, pouco antes da cerimônia de transmissão de cargo do Ministério da Economia.

Segundo o secretário, foi feita uma longa análise sobre diversas propostas e “decisões foram tomadas”. Ele evitou entrar em detalhes e disse que o ministro Paulo Guedes falará mais sobre o assunto. Marinho disse ainda que o desenho final da proposta de reforma do novo governo será apresentado em fevereiro, quando os novos parlamentares tomarem posse no Congresso Nacional.

O secretário afirmou que, independentemente da reforma da Previdência, o governo publicará uma medida provisória para reduzir fraudes e melhorar a eficiência no pagamento de benefícios. Ele afirmou que a MP será apresentada em entrevista coletiva na sexta-feira.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.