coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

TGV não entregará plano de negócio ao BNDES hoje

Os Trabalhadores do Grupo Varig (TGV) informaram que não deverão entregar hoje ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) o plano de negócios para a Varig modificado. Segundo o grupo, esta apresentação é uma exigência do banco, para analisar e aprovar eventual financiamento para investimento na empresa, da ordem de US$ 150 milhões.O TGV também informa que a prioridade, nesse momento, é obter US$ 75 milhões para fazer o depósito da primeira parcela da oferta total de US$ 449 milhões, feita no leilão da Varig. Representantes da TGV estão reunidos nesta quinta-feira no Rio e São Paulo, com potenciais investidores, diz a entidade. Ontem, pela primeira vez, o TGV admitiu a possibilidade de não haver recursos para que o sinal de US$ 75 milhões seja efetuado até sexta-feira, prazo estipulado pela Justiça para a concretização da venda da empresa.Ontem, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Luiz Fernando Furlan, disse que um empréstimo à Varig ?não seria excepcional?. Segundo Furlan, a operação não tiraria dinheiro da área de desenvolvimento econômico. ?O BNDES não vai dar dinheiro à Varig. Pode aceitar financiar o comprador da Varig em condições normais de temperatura e pressão, com todas as formalidades e garantias de qualquer operação financeira?, disse, usando ironia.Para o ministro, um financiamento para a Varig não se trataria de um favorecimento. ?O BNDES financiará projetos de recuperação da Varig com os novos proprietários e garantias de pagamento. Do mesmo modo que pode financiar uma empresa que se compromete a recuperar uma empresa que atravessa dificuldades", explicou.

Agencia Estado,

22 de junho de 2006 | 13h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.