The Economist teme ruptura na relação Brasil-EUA

A revista The Economist desta semana, em reportagem sobre as relações entre os Estados Unidos e a América Latina e o acordo firmado na semana passada em Miami para a formação da Alca, alerta para uma possível ruptura nas relações do Brasil com o EUA. A revista diz que o Brasil, quando assumir em janeiro um assento no Conselho de Segurança das Nações Unidas, poderá votar contra os Estados Unidos no que se refere ao Iraque. "Se isso acontecer, será necessário muito cuidado para que a frágil parceria brasileiro-americana não sofra uma ruptura", diz a revista. "Caso isso aconteça, o continente americano poderia apresentar dois campos rivais, resmungando um contra o outro."Segundo a publicação, apesar do acordo de Miami, a Alca continua sendo um tema complexo para o Brasil. O acordo permite que o País continue protegendo a sua economia enquanto "busca um desempenho inspirado pelo governo para se tornar um peso-pesado econômico". Mas isso poderá ter um preço: "menos acesso ao mercado norte-americano e talvez menos investimento do que outros países latino-americanos". A revista afirma também que a reunião de Miami "mostrou que boa parte da América do Sul rejeita a liderança brasileira".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.