ThyssenKrupp apresenta projeto de siderúrgica a Lula

A diretoria da multinacional alemã ThyssenKrupp apresentou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva projeto de construção de uma usina siderúrgica no porto de Sepetiba, no Rio de Janeiro, com capacidade para produzir 4,5 milhões de toneladas de placas de aço por ano. No primeiro momento, serão investidos no empreendimento, US$ 1,5 bilhão.A meta do grupo é inaugurar a usina, que será construída em parceria com a Companhia Vale do Rio Doce, até julho de 2008. O empreendimento prevê a criação de 3.500 empregos diretos e aproximadamente o mesmo número em empregos indiretos. "Ele (Lula) estava tão positivo que perguntou se não poderíamos entregar esse projeto em 2007", relatou o presidente do conselho administrativo da multinacional, Ekkehard Schulz, após o encontro. "Eu disse que, se fosse possível, estava de acordo".Schulz informou que o grupo entrará com 70% dos recursos no empreendimentos e que os 30% restantes serão aportados pela Vale do Rio Doce. Na audiência, Lula teria ressaltado que queria mais empregos "rapidamente". O presidente da ThyssenKrupp disse que a empresa confia na estabilidade econômica e política do Brasil e no crescimento sustentável de sua economia. "É por isso que cada vez mais empresas alemãs estão se preparando para investir no Brasil", observou.A ThyssenKrupp tem 185 mil trabalhadores em suas fábricas em todo o mundo, dos quais 9.000 no Brasil. O volume de vendas da empresa, no mundo, foi de 39 bilhões de euros em 2004 e, no Brasil, de 600 milhões de euros. A diretoria da empresa projeta uma segunda e, posteriormente, uma terceira etapa para seu novo empreendimento no Rio de Janeiro

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.