Divulgação
Divulgação

TIM Beta promove batalha de drones entre consumidores

Nicho de clientes, que prioriza jovens de 16 a 25 anos, é grupo emque só se pode entrarcom indicação

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2016 | 05h00

A partir de hoje, uma ativação nas principais redes sociais vai mostrar um grupo de jovens fazendo uma batalha de drones, controlados pelo celular, com adaptação para armas de paintball. A batalha colorida reúne clientes do serviço TIM Beta, da operadora TIM, voltado principalmente para jovens de idade entre 16 a 25 anos.

O Beta foi criado como um “grupo fechado”, em parceria com a agência de publicidade R/GA – a mesma que criou a Nike Fuel Band, pulseira para prática de esportes da Nike –, há cinco anos. O que começou como uma experiência, para fidelizar os mais jovens, acabou ganhando corpo: hoje, mais de 2,5 milhões de consumidores são TIM Beta.

Para se comunicar com esses clientes – que, para conseguir o chip especial do TIM Beta, precisam ser usuários com presença relevante em redes sociais –, agência e empresa desenvolverem uma série de eventos especiais. Só são convidados os clientes cujos posts mais reverberam nas redes sociais, como Facebook, Instagram e Snapchat. “Enviamos alguns desses participantes para visita aos escritórios de empresas de tecnologia como o Google, no Vale do Silício”, conta o vice-presidente da R/GA, Fabiano Coura.

A batalha de drones, desenvolvida e realizada em São Paulo, é uma ativação com a meta de incentivar a base do TIM Beta a aumentar sua influência nas redes. Aqueles que não têm presença suficiente para serem convidados para os eventos, mas contabilizam um número de seguidores relevante, são premiados de outra forma.

Quanto maior o total de interações em posts de um determinado Beta, menor é o preço que ele paga pelos serviços. Os planos Beta, que garantem uso diário ilimitado, são competitivos, pois os jovens têm renda limitada.

Os mais influentes no mundo digital podem pagar menos da metade dos Betas “comuns”. Nos planos de ligações entre celulares TIM, de SMS e de uso da web móvel, por exemplo, o valor varia de R$ 0,30 a R$ 0,75 por dia, dependendo da categoria.

Para a TIM, o projeto Beta, que começou como um programa de fidelização, virou um negócio rentável, segundo Lívia Marquez, diretora de publicidade e gerenciamento de marca da operadora. Ela afirma que, apesar disso, a ideia é manter a aura de clube exclusivo que o TIM Beta conquistou. Embora exista uma fila considerável de pessoas querendo entrar no grupo, a ordem é continuar a liberar convites para adesão somente duas ou três vezes por ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.