Tim Cook 'limpa' alto escalão da Apple

Fiasco do sistema de mapas e dificuldades de relacionamento motivaram saída de executivos, incluindo o ex-braço direito de Steve Jobs

REUTERS , SAN FRANCISCO, O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2012 | 02h04

O presidente da Apple, Tim Cook, forçou na segunda-feira o afastamento do poderoso chefe do grupo de software para celulares da empresa, dando início a uma grande mudança na administração que levou à saída do diretor da divisão de varejo.

Scott Forstall, que foi por um longo período o braço direito do fundador Steve Jobs, foi convidado a se retirar depois de anos de atrito com outros executivos do alto escalão, e também por se recusar a assumir a responsabilidade pelo fracasso do novo sistema de mapas da Apple.

Segundo fontes da empresa, Forstall não quis assinar um pedido público de desculpas quando o software de mapas que substituiu o popular Google Maps nos aparelhos da Apple trouxe erros constrangedores, o que gerou diversas críticas. Tim Cook, então, tomou seu lugar e assinou o pedido de desculpas. O executivo deixará a empresa no próximo ano, segundo comunicado oficial da Apple.

Essas mudanças de comando são as maiores realizadas na Apple em mais de uma década e constituem a primeira medida de peso adotada por Tim Cook para adequar sua equipe administrativa desde a morte de Jobs, no ano passado.

John Browett, que foi contratado para chefiar a divisão de varejo da companhia há apenas sete meses, depois de trabalhar como CEO da varejista britânica Dixon's, também está de saída. As medidas que adotou para aumentar os lucros do seu setor criaram uma relação hostil com funcionários. Fontes da Apple disseram apenas que ele era a "pessoa errada" para o cargo.

"Essas mudanças mostram que Tim Cook está imprimindo autoridade na empresa", disse Ben Wood, analista da CCS Insight. "Talvez a decepção com a história dos mapas tenha feito de Forstall o bode expiatório."

Embora a Apple desfrute de um enorme sucesso desde que Tim Cook assumiu a direção, os tropeços recentes, incluindo o fiasco do software de mapas e algumas decepções em termos de receitas, deixaram nítidos os desafios de longo prazo para a manutenção de sua posição no mercado de tablets e smartphones.

Concorrência. Google, Amazon, Microsoft e Samsung são concorrentes poderosas da Apple e estão determinadas a ter uma fatia maior de mercado. "A concorrência está cada vez mais veloz na corrida para se igualar à Apple", disse Tim Bajarin, presidente da empresa de consultoria e pesquisa Creative Strategies.

Com as mudanças na direção da Apple, o elogiado chefe da divisão de design industrial, Jonathan Ive, assumirá uma responsabilidade maior - passará a supervisionar o design de software e hardware da companhia.

Eddy Cue, executivo que dirige a área de produtos online se encarregará do Apple Maps e do software de busca Siri. Craig Federigh, que controla o software OX, que capacita os computadores Macintosh, também responderá pelo iOS. As lojas Apple devem se reportar diretamente a Cook, enquanto ele busca um chefe para a divisão.

Mapas e relações. Fontes próximas à Apple afirmaram que a saída de Forstall era preparada havia anos. O incidente com os mapas só abreviou a decisão. Veterano de 15 anos na companhia, ele chegou a ser considerado um possível candidato a presidente e teve papel fundamental na criação do iPhone e do iPad.

Mas também era considerado de difícil trato - provocava muitos atritos com outros executivos por causa do seu estilo agressivo. Com a morte de Jobs, não encontrou muitos defensores no alto escalão da empresa.

O destino do executivo, que controlava uma equipe de mil funcionários que se reportavam diretamente a ele, foi selado pelo fiasco do software de mapas. Mesmo depois dos protestos dos consumidores sobre as deficiências do produto e a insistência para a Apple retornar ao Google Maps, Forstall não reconheceu a gravidade do problema, disse uma fonte.

Pelo contrário: ele comparou a situação às queixas sobre a antena no primeiro iPhone e insistiu que a situação se acalmaria sem precisar de um pedido de desculpas público. Mas Tim Cook discordou e assinou uma carta pública em que a empresa tentava se explicar aos clientes.

Segundo a Apple, as medidas adotadas na segunda-feira têm por objetivo aprimorar "a colaboração" entre as operações de serviços, software e hardware. Forstall atuará como assessor de Cook até sua saída.

Reunir as equipes de software para computadores pessoais e móveis sob a direção de Craig Federigh deve melhorar as operações dentro da companhia, particularmente no momento em que as características de smartphones e PCs ficam cada vez mais parecidas.

Segundo analistas, Jonathan Ive, agora responsável pelo design de todos os produtos, teve papel fundamental no sucesso da empresa, conferindo aos produtos da Apple uma aparência e uma qualidade inconfundíveis. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.