TIM depende de aprovação para negociar com Brasil Telecom

O presidente da operadora de telefonia celular TIM, Mario Cesar Pereira de Araujo, disse hoje que, independentemente de liminares na Justiça estarem impedindo que se concretize o acordo de compra, pela Telecom Italia, da participação do banco Opportunity na Brasil Telecom, a empresa tem que aguardar que a operação seja aprovada por órgãos competentes para iniciar qualquer mudança nas operadoras fixa e móvel da Brasil Telecom. "Não podemos fazer nada sem a aprovação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e do Cade (Conselho Nacional de Defesa Econômica)", disse Araujo, em entrevista coletiva para fazer um balanço das operações da empresa na região Centro-Oeste. Pelo acordo, a TIM, que é controlada pela Telecom Italia, vai incorporar a operadora de telefonia móvel Brasil Telecom GSM e vai devolver a licença desta empresa para a Anatel. "O que nós estamos fazendo são acordos operacionais que já vínhamos fazendo antes", disse Araujo, referindo-se a acordos de roaming, para que os clientes da Brasil Telecom GSM possam fazer ligações mesmo fora de sua área de atuação. Ele disse ainda que o acordo societário vai gerar ganhos para a Brasil Telecom e para a TIM, já que não será mais necessário fazer investimento duplicado. A TIM opera telefonia celular em todo o País e a Brasil Telecom GSM atua nas regiões Sul, Centro-Oeste e parte da Norte. Araujo não soube dizer se a Telecom Italia já apresentou pedido de anuência prévia à Anatel sobre o acordo societário com o Opportunity. Segundo ele, não é necessário cassar liminar na Justiça para que a Telecom Italia entre com processo na Anatel ou no Cade sobre a operação. "São órgãos independentes", afirmou.

Agencia Estado,

10 Maio 2005 | 15h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.