TIM fecha acordo para compra da Intelig

Operação de troca de ações dá à Docas Investimentos 6,15% da TIM

Daniele Carvalho e Alexandre Calais, O Estadao de S.Paulo

17 Abril 2009 | 00h00

A TIM Participações fechou a compra da operadora de telefonia de longa distância Intelig, que pertencia à Docas Investimentos, do empresário Nelson Tanure. O acordo foi assinado ontem, encerrando um longo período de negociações, iniciado em outubro do ano passado.A compra foi fechada por meio de uma operação de troca de ações. Pelo acordo, a TIM assume o controle integral da Intelig, e a Docas, por meio da empresa JVCO Participações Ltda., fica com 6,15% das ações ordinárias e 6,15% das preferenciais da TIM Participações.A TIM ressalvou, em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que o acordo ainda depende de certas condições para ser efetivamente concluído. "A Intelig se encontra em processo de reorganização societária e financeira e, em especial, de composição com os seus principais bancos credores, sendo a completa e definitiva solução de tais passivos, bem como a capitalização de créditos anteriormente detidos pelos seus antigos controladores, condição prévia e necessária à implementação da operação", diz o comunicado.Um dos maiores entraves à conclusão do negócio vinha sendo exatamente o pagamento de uma dívida que a Intelig arrastava com bancos internacionais, entre eles o UBS e o Deutsche Bank, num valor estimado de US$ 260 milhões. Um acordo fechado entre as partes no início de março na 38ª Vara Cível de São Paulo, no entanto, pôs fim ao problema. Mas a empresa italiana ainda esperava a efetivação do pagamento, que passa por uma série de exigências burocráticas, no Brasil e no exterior, para concretizar a operação. Na quarta-feira, uma fonte ligada à Intelig informou que o problema já estaria solucionado. "Era uma condição sine qua non para o negócio. Os italianos exigiram que a Intelig fosse vendida sem passivos." A TIM classificou a aquisição, em seu comunicado, como de grande importância para a companhia. "A operação, de grande relevância estratégico-operacional, tem por objetivo otimizar as áreas operacionais e de suporte da TIM Participações, suas controladas e da Intelig, resultando em um aproveitamento mais racional dos recursos disponíveis, redução de custos, ganho de produtividade, combinação de esforços comerciais e melhor utilização das sinergias entre as empresas", diz a nota.Conhecida como empresa de chamadas de longa distância, a Intelig tem como principal ativo seu backbone - rede de fibra ótica que permite conexão nacional e internacional para a transmissão de dados. Segundo especialistas, era o único ativo desse porte à venda no País.A Intelig foi comprada pela Docas Investimentos em janeiro de 2008. Na ocasião, Tanure adquiriu, por valor não revelado, 100% das ações do consórcio que controlava a empresa: National Grid, Sprint Nextel e France Telecom. A Intelig também não revela receitas ou lucros. Mas, segundo levantamento feito por um analista, a empresa teve receita líquida aproximada de R$ 750 milhões em 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.