TIM quer evitar supertele na mão de estrangeiros

O presidente da TIM Participações, Mario Cesar Pereira de Araujo, pareceu tranqüilo ontem ao comentar a proposta de mudança de regras para permitir a fusão entre Oi e Brasil Telecom. Mas defendeu que eventuais mudanças devem vir acompanhadas de um mecanismo que impeça a venda da nova empresa a estrangeiros. Araujo disse também que o governo poderia aproveitar a ocasião para fazer com que passe a funcionar de fato o unbundling, que permite o acesso de concorrentes às redes das operadoras dominantes. Ele reiterou que é importante dar segurança aos investidores. Segundo Araujo, o governo garantiu aos acionistas da TIM, em reunião este mês, que iria manter a isonomia competitiva, sem criar assimetrias. E os italianos asseguraram ao governo que não haverá fusão com a Telefônica, que agora integra o bloco de controle da TIM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.