TIM questiona lance da Claro em licença de 3G

Empresa diz que concorrente apresentou lance para arrematar RJ depois do horário limite

Leonardo Goy, da Agência Estado,

20 de dezembro de 2007 | 12h20

A TIM se manifestou nesta quinta-feira, 20, contra o lance dado pela Claro, no leilão de licenças para a telefonia celular de terceira geração (3G), na disputa pela terceira licença da área 1 (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Sergipe). Esse lote foi leiloado na última terça-feira, 18. VEJA TAMBÉM Entenda a tecnologia 3G Link - Para quem vale a pena optar pelo 3G? Internet em celular deve ser 70% em 2012 3G da Claro começa a funcionar em SP Primeiro dia de leilão tem ágio de 273% Vivo, Claro, Oi e TIM vão operar telefonia 3G em São Paulo Telemig, Oi, TIM e Claro vão operar telefonia 3G em Minas Na ocasião, o representante da Claro, segundo a TIM, entregou um envelope com a proposta de R$ 502 milhões, poucos segundos após o cronômetro da Anatel, que estabelece o tempo para a apresentação da proposta, ser zerado. A TIM, que arrematou esse lote por R$ 628 milhões, quer que o lance da Claro seja desconsiderado para que ela (TIM) possa pagar menos pelo lote. A operadora tinha oferecido R$ 478 milhões pelo lote, quando teve sua proposta coberta pela Claro, o que levou a TIM a fazer uma nova proposta R$ 50 milhões mais cara. A comissão de licitação da Anatel, no entanto, não atendeu à manifestação da TIM e manteve a validade da proposta da Claro. Os dirigentes da agência argumentam que o representante da Claro já havia se levantado da cadeira, no auditório da Anatel, para entregar a proposta, segundos antes do término do tempo. A TIM pode apresentar um recurso administrativo para questionar o lance da concorrente.

Tudo o que sabemos sobre:
3GCelularTelecom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.