TIM reclamou de 'severidade das medidas', diz Bernardo

Segundo a operadora, medida teve impacto negativo de US$ 2,5 bilhões no valor de mercado das empresas do grupo

Anne Warth, da Agência Estado,

25 de julho de 2012 | 17h46

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quarta-feira, 25, que a diretoria da TIM reclamou, durante reunião realizada entre as duas partes em Brasília, da "severidade" das medidas adotadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que suspendeu as vendas da empresa desde a última segunda-feira em 18 Estados e no Distrito Federal.

Segundo o ministro, o encontro foi muito positivo. "Ouvi uma série de ponderações sobre medidas adotadas pela Anatel na semana passada. Eles reclamaram um pouco da severidade das medidas", afirmou. Estiveram presentes à reunião, além de Bernardo, o presidente da Telecom Italia, Franco Bernabè, o diretor presidente da TIM Celular no Brasil, Andrea Mangoni, e o diretor de Assuntos Regulatórios e Relações Institucionais da TIM no Brasil, Mario Girasole.

Bernardo afirmou que os diretores relataram que as medidas tiveram impacto muito forte e pesado sobre o valor de mercado das empresas do grupo. Segundo eles, a perda foi de US$ 2,5 bilhões. "Eles achavam que talvez uma medida menos drástica fosse mais adequada", afirmou. "Mas eu acredito que essa é uma perda momentânea."

A empresa volta a se reunir com a diretoria da Anatel amanhã, 26, quando pretende levantar dados adicionais solicitados pelo órgão. "Temos interesse que esse plano seja aprovado o quanto antes para que as operações da empresa voltem à normalidade", afirmou. "A Anatel recebeu um plano bem detalhado. Amanhã teremos algumas informações adicionais, e depois disso a agência terá todos os elementos técnicos para decidir rapidamente sobre a volta da normalidade das operações da empresa."

Tudo o que sabemos sobre:
operadorasTIMBernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.