Time Warner chega a acordo para fechar ação contra a AOL

A maior companhia de meios de comunicação do mundo, Time Warner, chegou nesta quarta-feira a um acordo para fechar a ação apresentada por acionistas que acusavam a divisão América Online (AOL) de inflar suas vendas. Por meio do acordo, a Time Warner pagará US$ 2,4 bilhões aos acionistas que se sentiram enganados pelas práticas contábeis da empresa.A AOL comprou Time Warner em janeiro de 2000 em uma operação avaliada na época em cerca de US$ 124 bilhões, na maior fusão já realizada. No entanto, uma vez completada a compra, as ações da empresa começaram a cair por causa do lento crescimento da divisão de Internet. O acordo de hoje coloca fim às exigências dos investidores, que alegavam que a AOL inflou suas vendas para favorecer a compra da Time Warner.Aos US$ 2,4 bilhões se somam os US$ 300 milhões que a empresa já pagou à Comissão do Mercado de Valores dos EUA (SEC, em inglês) e os US$ 210 milhões entregues ao Departamento de Justiça, para fechar as investigações dos dois órgãos. A Ernst & Young, auditora da Time Warner, se comprometeu a pagar mais US$ 100 milhões aos investidores da empresa.Impacto para a empresaEste encargo de US$ 2,4 bilhões fez com que a Time Warner registrasse uma perda líquida de US$ 321 milhões no segundo trimestre, resultados que também se tornaram públicos hoje. Ao descontar encargos extraordinários, a Time Warner obteve lucro equivalente a US$ 0,18 por ação, menos que os US$ 0,19 que os analistas de Wall Street esperavam.As vendas da companhia caíram 1% em relação às do mesmo período do ano passado, para US$ 10,74 bilhões, quando os analistas esperavam um aumento de 1%. A receita da divisão de cinema caiu 24%, para US$ 2,36 bilhões, por causa dos ganhos menores de filmes como "A Sogra" e "Batman Begins", em comparação aos sucessos do ano passado "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" e "Tróia".As vendas da divisão de internet AOL caíram 4%, para US$ 2,1 bilhões, devido à queda em 917.000 no número de assinantes, que no final do trimestre fica em 20,8 milhões. A empresa também anunciou um plano de recompra de ações de US$ 5 bilhões nos próximos dois anos, o primeiro programa deste tipo empreendido pela empresa desde 2001. No pregão de Wall Street hoje, as ações da empresa caíam US$ 0,31 (1,78%), para US$ 17,11.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.