Tinha tudo para dar certo, mas...

Shopping centers estão em alta. Fundos imobiliários também. Combinar os dois negócios parece uma opção de investimento certeira. Mas nem sempre é. O fundo criado para ser dono de 40% do Mais Shopping Largo 13, na Zona Sul de São Paulo, tem sido um dos patinhos feitos do segmento. Nos últimos 12 meses, o fundo administrado pelo Bradesco teve rentabilidade negativa de 28,24% enquanto o fundo que tem o shopping Higienópolis como inquilino rendeu a seus cotistas ganhos de 51%.

O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2012 | 03h07

O problema nesse caso não está no fundo em si mas no empreendimento projetado e administrado pela REP, empresa controlada pela incorporadora PDG. A ideia inicial do shopping simplesmente não emplacou. Inaugurado em 2010, está localizado numa região de São Paulo historicamente ocupada por ambulantes. O shopping foi concebido para absorver pequenos varejistas locais e atender as classes C e D - quando 80% dos empreendimentos tentam atrair consumidores A e B.

Das 401 lojas, 110 estão vazias. Há dois meses, o Bradesco convocou uma assembleia para exigir providências da REP e determinou metas, entre elas a de que o número de unidades vagas caia para 20 até o fim do ano. "O shopping ainda não está maduro, por isso não é rentável", afirma Ricardo Mizukawa, superintendente de produtos do banco, que tem apenas esse fundo imobiliário. A intervenção do Bradesco faz sentido: as cotas que em 2010 foram vendidas a R$ 1 mil estão valendo R$ 570.

INTERNET

Submarino vítima de fraude

O Submarino Viagens está processando Microsoft e Google. Quer dados de usuários de e-mail acusados de fraudes para processá-los. "Usuários compraram passagens com dados de cartões de crédito de terceiros e e-mails falsos. Houve estorno aos donos de cartão. Mas a viagem foi feita e o prejuízo é de mais de R$ 50 mil", disse a advogada Marília Rasi, que defende o Submarino. Houve decisão favorável em primeira e segunda instâncias ao site de viagens, mas cabe recurso. A Microsoft diz que, se houver ordem judicial, fornecerá os dados. O Google não comentou.

ENSINO SUPERIOR

Pearson quer universidades Os britânicos da Pearson, maior grupo editorial do mundo, fizeram as primeiras investidas no mercado brasileiro de ensino superior privado. A primeira tentativa de aquisição foi a Unisa, com 25 mil alunos na graduação. Mas as conversas não resistiram aos balanços financeiros, segundo fontes. Pearson e Unisa negam as informações.

AVIAÇÃO

Boeing Dreamliner na Latam A Latam será a primeira operadora na América Latina do novo Boeing-787 Dreamliner, sensação da aviação mundial. O grupo comprou quatro aviões. Os dois primeiros serão entregues até o início de 2013, segundo Donna Hrinak, presidente da Boeing Brasil.

INFRAESTRUTURA

TCP sob novo comando

O TCP, Terminal de Contêineres de Paranaguá, um dos maiores do País, nomeou Luiz Antonio Alves como presidente. O ex-diretor financeiro vai comandar o projeto de ampliação e modernização do terminal, iniciado no fim de 2010, quando o private equity Advent se tornou sócio do TCP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.