Títulos brasileiros batem quinto recorde

O C-Bond, principal título da dívida brasileira negociado no exterior, marcou seu quinto recorde consecutivo no fechamento de hoje, sendo negociado a 96,500 centavos por dólar, alta de 0,26% sobre sexta-feira. Desde a segunda-feira passada, quando fechou em 94,500 centavos por dólar, o C-Bond acumula alta de 2,12%. Com a nova alta do C-Bond, o risco Brasil ? taxa que mede a confiança dos investidores estrangeiros na capacidade de pagamento da dívida do país ? manteve a trajetória de queda e, por volta das 18h30 (de Brasília), recuava 17 pontos-base para 542 pontos-base. Trata-se do menor nível desde 21 de maio de 1998, quando fechou em 533 pontos-base. Hoje o mercado secundário de títulos da dívida externa brasileira operou com bom volume de negócios, ainda animado por especulações de uma nova emissão de títulos brasileiros e pela expectativa de uma melhora na perspectiva do rating soberano (classificação) do Brasil. Nem a afirmação da presidente da Standard & Poor´s no Brasil, Regina Nunes, de que não há previsões para uma elevação da perspectiva, passo prévio ao aumento do rating, desanimou o mercado (veja mais informações no link abaixo). Segundo um operador, a S&P não daria nenhuma indicação firme de seus planos em público. Ou seja, os investidores continuaram comprando C-Bond apostando na melhora do rating, assim como da retomada do crescimento da economia do Brasil em 2004. O C-Bond oscilou hoje entre a mínima de 95,875 centavos de dólar e a máxima de 96,6985 centavos de dólar.

Agencia Estado,

24 de novembro de 2003 | 19h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.