Títulos brasileiros em alta e risco Brasil estável

O mercado secundário de títulos da dívida externa opera esta tarde com pouca liquidez (volume de negócios). O risco Brasil ? taxa que mede a confiança dos investidores estrangeiros na capacidade de pagamento da dívida do país ? está estável em 566 pontos-base, o que significa que os investidores pedem um prêmio de 5,66 pontos porcentuais acima dos juros pagos pelos títulos norte-americanos, considerados sem risco. Na ausência de notícias novas no cenário político doméstico, o mercado de títulos da dívida brasileira segue tranqüilo, orientando-se pelo desempenho dos papéis norte-americanos. O último negócio com o C-bond, principal título da dívida brasileira negociado no exterior, até às 13h45 (horário de Brasília), foi fechado em 95,875 centavos por dólar, com alta de 0,20% em relação ao fechamento de ontem, em 95,688 centavos por dólar, segundo a corretora López Léon. O último negócio com o Global 40, outro título da dívida brasileira, foi realizado em 105,40 centavos por dólar, queda de 0,52% ante o fechamento em 105,95 centavos por dólar na terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.