Títulos brasileiros têm recorde histórico

Os rumores de uma nova captação de recursos em papéis da dívida brasileira no exterior persistem e os investidores mantêm suas apostas mais positivas. A mesma percepção foi registrada no exterior. Os C-Bonds, principais papéis públicos do Brasil, encerraram na cotação de 91,938 centavos de dólar, recorde histórico para o título. Em conseqüência, o risco Brasil ? taxa que mede a confiança dos investidores na capacidade de pagamento da dívida do País - recuou para 726 pontos base.O dólar comercial encerrou o dia em alta de 0,63% em relação aos últimos negócios de ontem. Na ponta de venda, estava cotado a R$ 2,8780. A oscilação foi da máxima de 2,9020 à mínima de R$ 2,8100. Com este resultado, o dólar registra queda de 3,10% em junho e baixa de 18,70% no acumulado do ano. No mercado de juros, as taxas de juro também caíram mais um pouco. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os contratos com taxas pós-fixadas e vencimento em janeiro de 2004, pagavam taxas de 23,75% ao ano - contra 23,85% ao ano registrados ontem.Já o Ibovespa ? que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerra a primeira semana de junho com um excelente desempenho. O índice subiu 1,05% hoje e acumulou alta de 3,74% no mês. O volume financeiro também tem se mantido mais robusto. Nesta sexta-feira, foram negociados R$ 749 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.