coluna

Louise Barsi: O Jeito Waze de investir - está na hora de recalcular a sua rota

Títulos da dívida externa renderam só 7% em 2001

Não admira que bancos internacionais estejam recomendando menos aplicação em títulos da dívida externa brasileira. Segundo o relatório anual da associação que representa os investidores em mercados emergentes (EMTA), em 2001 os títulos da dívida externa brasileira ofereceram o terceiro pior rendimento entre todos os mercados emergentes, de 7% em média.O rendimento foi o mesmo do índice Lehman US Treasury, diz a EMTA. Ou seja, um investidor que aplicou no Brasil obteve, correndo um risco infinitamente maior, o mesmo rendimento de quem escolheu investir em títulos do Tesouro americano, que em tese não têm risco.Os títulos de mercados emergentes como um todo deram um prejuízo de menos de 1%, segundo a EMTA, principalmente por causa da Argentina, cujos títulos caíram 67% em 2001. Excluindo a Argentina, os títulos de mercados emergentes renderam em média 20%.A EMTA destaca como os melhores desempenhos entre os emergentes a Rússia, que cresceu 5% no ano e realizou diversas reformas, e o México, cuja classificação de risco foi aumentada para grau de investimento. Os títulos russos renderam 56% em 2001 e os mexicanos, 14%. O Brasil também recebeu destaque no relatório, por causa dos US$ 23 bilhões recebidos na forma de investimentos estrangeiros diretos no ano passado, apesar da falta de privatizações importantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.