Títulos do Brasil sobem após anúncio de medidas

Os títulos da dívida do Brasil subiram forte depois que o governo anunciou uma série de medidas para aumentar seus recursos financeiros e restaurar a confiança do investidor. O governo brasileiro confirmou os planos para sacar US$ 10 bilhões do atual programa de crédito do FMI e anunciou medidas para aumentar a austeridade fiscal além das metas já existentes no acordo.Wall Street recebeu bem a estratégia e, como resultado, os C-bonds subiram 2 13/16, para 68 1/16 cents por dólar (preço de oferta), enquanto o spread de retorno da porção Brasil no índice EMBI+ do JP Morgan caiu em 102 pontos-base, para 1.209 pontos-base sobre os Treasuries comparáveis."Risco político"Contudo, o otimismo do mercado foi marcado pela cautela de que qualquer rali será efêmero, uma vez que as preocupações sobre a eleição presidencial de outubro provavelmente vão gerar mais volatilidadeEntre as medidas políticas anunciadas, o governo brasileiro disse que vai aumentar a meta de superávit orçamentário primário de 3,50% para 3,75% do PIB e reduzir o piso de suas reservas internacionais líqüidas de US$ 20 bilhões para US$ 15 bilhões. "A combinação dessas medidas épositiva ao limitar as conseqüências e os prejuízos devido à fraca confiança na economia", disse a estrategista Siobhan Manning, daCaboto USA, em seu boletim para investidores."Contudo, a volatilidade provavelmente continuará enquanto o volume de operações for baixo e o ponto central do problema continuar sem solução - o risco político", acrescentou Manning.Vicent Truglia, diretor-gerente de risco soberano da Moody´s Investor Service, disse que as novas medidas são "claramente eficazes no curtoprazo" e consistentes com a maneira "competente" pelo qual o governo tem abordado a política fiscal e monetária. Contudo, com a eleição presidencial marcada para daqui a quatro meses, Truglia disse que o governo não pode lidar com o risco pós-eleição agora. O sentimento positivo em relação ao Brasil impulsionou os preços dos demais títulos da dívida de países emergentes, incluindo os instumentos da Venezuela e da Turquia, que haviam despencado recentemente, pressionados por seus respectivos problemas domésticos.O spread da porção Venezuela no EMBI+ caiu em 32 pontos-base, para 1.017 pontos-base sobre os Treasuries comparáveis, enquanto o spread da porção Turquia encolheu em 13 pontos-base, para 724 pontos-base. Um trader em Nova York, disse que as notícias do Brasil ajudaram a direcionar um fluxo significativo para o mercado, que estava sedento por liqüidez.Entre os principais ativos, os eurobônus da Rússia para 2030 subiram 1/2, para 71 1/4 cents por dólar (preço de oferta), enquanto os bônus globais mexicanos para 2026 permaneceram estáveis em 129 cents por dólar (preço de oferta).

Agencia Estado,

13 de junho de 2002 | 20h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.