Washington Alves/ Estadão
Washington Alves/ Estadão

seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Todas as 65 fábricas de veículos no País podem suspender a produção

Entidade do setor afirma que as fabricantes estão discutindo medidas com os respectivos sindicatos

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 18h30
Atualizado 20 de março de 2020 | 14h40

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) informou hoje que todas as empresas do setor se preparam para paralisar atividades ao longo das próximas semanas "em função do agravamento da crise gerada pelo coronavírus".

O setor reúne 65 fábricas de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, máquinas agrícolas e motores que empregam 125 mil trabalhadores diretos em 43 cidades de dez Estados. A medida deve afetar também centenas de fornecedores de autopeças. Em nota, a Anfavea afirmou que "todas as nossas empresas estão analisando e se preparando para tomar ações de paralisação das suas fábricas no Brasil, e discutindo caso a caso com seus respectivos sindicatos."

Segundo a entidade, não há um prazo definido para a paralisação da produção de todas as montadoras. Quatro grupos já confirmaram férias coletivas para os quase 50 mil funcionários: Ford, General Motors, Mercedes-Benz e Volkswagen. A Volvo também anunciou que vai dar férias coletivas aos seus funcionários, por pelo menos um mês.

As fabricantes  Toyota, Scania, BMW e FCA Fiat Chrysler também anunciaram nesta sexta-feira, 20, que fecharão as fábricas temporariamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.