Todas as pimentas encontradas em São Paulo

Livro de Cloves Vasconcelos é um ótimo catálogo para pessoas envolvidas com o assunto e consumidores

Tânia Rabello, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2011 | 00h00

Conversar com o fotógrafo Cloves Vasconcelos, autor do livro Pimentas que você encontra em São Paulo, recém-lançado, com edição própria, é como tomar conhecimento de um farto banco de dados, não só sobre as 94 variedades de pimentas descritas e identificadas no livro, mas também sobre variada gama de frutas, hortaliças e legumes. Isso porque o livro sobre pimentas já é o terceiro de uma série na qual Vasconcelos começou a trabalhar há cerca de quatro anos. Em seu portfólio de pesquisador de vegetais, estão também Frutas que você encontra em São Paulo e Hortaliças que você encontra em São Paulo.

O resultado da pesquisa em feiras livres, varejões, sacolões, supermercados, Ceagesp e também diretamente nas hortas dos produtores transformou-se nesses três primorosos catálogos de identificação de vegetais comestíveis encontrados na capital paulista.

Vasconcelos é fotógrafo, dos bons - é ele o responsável pelas fotos, por exemplo, da série de livros de receitas do açúcar União, que fizeram parte da infância de quem hoje tem mais de 40 anos, com deliciosos quitutes.

Bem identificadas. O perfeccionismo das imagens permite ao leitor identificar claramente as diferenças entre os mais variados tipos de pimentas ilustrados no livro. É surpreendente a variedade encontrada nos pontos de venda. Das populares malagueta e dedo-de-moça até a mais ardida do mundo, a bhut jolokia (Capsicum chinense). Sem contar as jalapeños, que dão sabor especial a muitos pratos mexicanos.

Sobre os nomes científicos, o trabalho de Vasconcelos foi preciosista. "Fiz questão de tomar o maior cuidado com a identificação correta das espécies", garante o autor. "Não tive pressa em lançar nenhum dos três livros. Queria que tudo saísse corretamente, já que há muitos enganos, em todo o Brasil e até mesmo em órgãos de pesquisa, na hora de identificar e nomear vegetais, tanto cientificamente quanto popularmente", diz.

Tamanho conhecimento começou com uma garimpagem em supermercados, feiras livres, hortifrutis, Ceagesp e atacadões na cidade de São Paulo, passando por vários sites e literaturas especializadas, inclusive internacional, para designar com propriedade e sem risco de errar a identificação de cada vegetal.

O resultado são três guias muito úteis ao consumidor, chefs e quem mais esteja envolvido com o consumo ou comercialização de vegetais. Os três livros podem ser obtidos em conjunto (numa caixa única) ou separadamente.

Onde comprar

WWW.ENCONTRAEMSP.COM.BR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.