bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Tolmasquim: demanda das térmicas definirá novos cortes

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim disse hoje em Belo Horizonte que a necessidade de novos cortes no fornecimento de gás pelas distribuidoras do País dependerá da necessidade da Petrobras do combustível para acionar as térmicas. Ele não soube informar se a interrupção de abastecimento poderia atingir outras companhias que estejam descontratadas, principalmente no Nordeste, da mesma forma que a Comgás e a CEG. "Acredito que todo o problema será superado em semanas, porque estamos às vésperas das chuvas", afirmou.Tolmasquim rebateu as críticas que a interrupção do fornecimento geraria insegurança para os consumidores. "A insegurança surgiu no momento em que alguém fez algo sem contrato, a Petrobras só está diminuindo para quem não tinha contrato", disse referindo-se as distribuidoras de gás que venderam volume de gás acima dos contratos com a Petrobras. Ele justificou que este ano o nível dos reservatórios das hidrelétricas em todo o País ainda está dez pontos porcentuais acima do volume do ano passado e supera em 40 pontos o nível de 2001, quando houve o racionamento de energia. "O modelo do Operador Nacional do Sistema (ONS) determina que preventivamente as térmicas devem ser acionadas, o correto é o que está sendo feito", considerou. Tolmasquim participou de almoço com empresários na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.