Tolmasquim desqualifica estudos sobre novo apagão

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, desqualificou os estudos que apontam um novo apagão no Brasil ao final da década. O executivo minimizou os trabalhos da Abradee, associação das distribuidoras, e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) apresentados no evento Balanço de Oferta de Energia e Regulamentação do Setor Energético Brasileiro, promovido nesta terça-feira pela Fiesp e no qual Tolmasquim foi palestrante. "Com certeza estão errados. Eles não possuem os dados do governo. Por isso, trabalham com as informações da imprensa, que nem sempre são corretas", rebateu o presidente da EPE.Tolmasquim também desqualificou o trabalho da Secretaria de Acompanhamento Econômico, que alega que o País enfrentará uma nova crise no setor elétrico caso o crescimento da economia seja de 5% até 2010. "É um documento interno. Não tem nada elaborado pelo Ministério da Fazenda. Não é qualificado", afirmou.Durante sua apresentação, o executivo chegou a dizer que o documento do Seae era um trabalho produzido por um "estagiário", que simplesmente copiou e colou informações de estudos antigos. Segundo Tolmasquim, apenas a EPE detém os estudos mais qualificados sobre a situação energética do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.