Tolmasquim: R$ 122 o MWh para Santo Antônio é viável

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, considerou hoje que o preço máximo da energia que será vendida pela usina de Santo Antônio, no Rio Madeira, "ainda é um valor viável". Ontem, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o edital do leilão, fixando o preço em R$ 122 por MWh, incluindo os R$ 24,63 referentes aos custos com transmissão da energia. "É um valor viável, dá para ter um retorno satisfatório", afirmou.Inicialmente o governo tinha estimado que o preço-teto da energia ficaria em aproximadamente R$ 130 o MWh. Em seguida, a EPE anunciou uma redução para R$ 125/MWh, valor que já foi considerado "o limite" por Tolmasquim. O edital do leilão, porém, determinou uma diminuição do preço de 6,15%, depois de levar em consideração algumas sugestões do Tribunal de Contas da União (TCU) para diminuir a tarifa e também porque aumentou o volume de energia assegurada da usina.Pelo edital, vencerá a concorrência quem oferecer o menor preço pela energia gerada na usina. O leilão foi marcado para o dia 10 de dezembro. Tolmasquim afirmou também que a intenção do governo federal é licitar no segundo semestre de 2008 a linha de transmissão entre Porto Velho (RO) a Araraquara (SP), com uma extensão de 2,5 mil quilômetros. Ele afirmou que a linha será de corrente contínua, mas ainda não há definição sobre o modelo da licitação, se em um único bloco ou em lotes, ou o valor do investimento necessário.

RAQUEL MASSOTE, Agencia Estado

31 de outubro de 2007 | 18h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.