Tombini afirma que a inflação converge para o centro da meta

Desaceleração da economia global deve ajudar no processo de desinflação do Brasil, afirma presidente do BC

ANNE WARTH, RICARDO LEOPOLDO, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2012 | 03h04

O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, disse que a inflação está em processo de convergência para o centro da meta. Em discurso durante a cerimônia de lançamento da ampliação do Sistema de Informações de Crédito (SCR), em São Paulo, Tombini destacou que isso pode ser observado em diversos índices de inflação, como os IGP-s e IPCs medidos pelo IBGE, FGV e Fipe.

Segundo ele, os preços no atacado acumulam alta inferior a 2% em 12 meses encerrados em março. Tombini disse que, no início de 2011, em janeiro, os IGP-s acumulavam alta de 11,40% em 12 meses e, agora, o IGP-10 acumula alta de 3,29%.

"Esse processo de desinflação não se limita aos índices de atacado, e também vem sendo observado em índices ao consumidor", disse, citando como exemplo as variações acumuladas em 12 meses do IPCA-15 (5,61%), IPC-10 (5,47%), INPC (5,47%) e IPC-Fipe (4,50%).

Freada global. Para Tombini, isso é uma prova de que o sistema de metas de inflação está sendo bem-sucedido.

Segundo o presidente do BC, a desaceleração do mundo, que deve crescer em 2012 menos do que em 2011, deve colaborar para o processo de queda dos preços no Brasil. "A contribuição da economia global segue desinflacionária", afirmou. Tombini destacou que, apesar da perda de vigor da economia mundial neste ano em relação a 2011, há uma recuperação mais firme da economia dos EUA.

No caso da China, ele reiterou manifestação das autoridades daquele país, que almejam um crescimento de 7,5% para este ano. "A China tem capacidade de resposta para administrar o pouso suave da economia", disse.

Varejo. Tombini, avaliou como "um dado muito forte" o resultado das vendas do varejo em janeiro sobre dezembro, que apresentou alta de 2,6%. Ele ressaltou que o varejo ampliado mostrou um desempenho um pouco menor, mas mesmo assim "crescendo de forma robusta". Tombini destacou também o bom resultado do comércio varejista em doze meses, que apresentou uma alta de 6,6% no varejo restrito e uma elevação de 6,4% no ampliado.

Para o presidente do BC, a taxa de juros real do País é decrescente e atingiu recorde de baixa.

Tombini disse que a economia já dá sinais de recuperação e vai acelerar a retomada no segundo semestre deste ano.

Como exemplo, ele citou os indicadores de mercado de trabalho avaliados como robustos. Segundo Tombini, a taxa de desemprego no País é hoje a terceira menor do mundo perdendo para a China e o Japão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.