Valéria Gonaçalves/ Agência Estado - 16/03/2010
Valéria Gonaçalves/ Agência Estado - 16/03/2010

Top Picks: Analistas apontam boa perspectiva de crescimento para CCR, após leilões

Aquisição da concessão das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), diversifica o portfólio e pode trazer bons resultados para a CCR

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2021 | 21h00

Considerada pelos analistas a grande vencedora dos recentes leilões de concessões públicas, a CCR tem boas perspectivas de crescimento para os próximos anos, segundo analistas. Mesmo com os desembolsos para ficar com os projetos, e os investimentos que deverão ser feitos, a movimentação da companhia deixa o mercado mais otimista, principalmente para o longo prazo.

Em relatórios divulgados durante esta semana, os analistas destacam que a aquisição da concessão das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), diversifica o portfólio e pode trazer bons resultados para a CCR. O Credit Suisse, por exemplo, lembra que o grosso dos investimentos obrigatórios, R$ 3,2 bilhões, ou 93%, acontecerão nos três primeiros anos, e que 56% do total serão usados para a aquisição de 34 novos trens.

"Para mitigar os riscos de demanda com a covid-19, o primeiro ano da concessão será rebalanceado caso a demanda fique 5% abaixo do projetado, tanto para cima (pago pela concessionária) ou para baixo (pago para a CCR)", afirmam os analistas Regis Cardoso, Henrique Simões e Alejandro Zamacona, do Credit Suisse, em relatório.

Henrique Esteter, analista da Guide Investimentos, lembra que além das concessões da CPTM, a CCR recentemente saiu vencedora no leilão de dois blocos de aeroportos promovido pelo governo federal. "O movimento da CCR nos agrada ao mostrar que mesmo em um momento de dificuldade do setor de mobilidade, o apetite da companhia não diminuiu, e que ela pode fazer uso do seu forte acesso ao mercado de capitais para seguir demonstrando força e brigar também pelas concessões rodoviárias que virão em breve", explica Esteter.

O Santander aponta outras duas empresas como suas preferidas no segmento de infraestrutura. "Nossas preferidas no momento são EcoRodovias, com uma taxa de retorno em seus projetos de 10,7%, e a Hidrovias do Brasil, que tem projetos muito interessantes de escoamento de produção de grãos e minerais por barcaças tanto no Norte quanto no Sul do Brasil", explica Fernando Habda, estrategista de pessoa física da Santander Corretora.

Ele lembra que a EcoRodovias tem mostrado disciplina nas despesas, o que evita uma eventual "maldição do vencedor" de leilões, que consiste em pagar caro para ficar com um ativo. Já a Hidrovias está em um processo de diminuir seus níveis de endividamento com os projetos começando a dar retorno, e fechando aquisições.

Sobre as carteiras recomendadas para a próxima semana, a Ativa Investimentos manteve somente Priner ON da lista anterior, agora acompanhada de Banco Pan PN, TIM ON, Vale ON e Via Varejo ON.

A Guide fez três trocas em suas recomendações. Saíram GPA ON, Localiza ON e Minerva ON e entraram Braskem PNA, Marisa Lojas ON e Mosaico ON.

A MyCap também alterou três ativos em sua lista, saindo Alpargatas PN, B3 ON e Eternit ON, substituídas por Cyrela ON, Natura &Co ON e Via Varejo ON.

A XP trocou Klabin Unit e Weg ON por Gol PN e Petrobras PN. A Mirae Asset retirou da sua lista Banco Inter Unit, e colocou Weg ON. A Órama Investimentos trocou CSU ON por Hypera ON. E a Terra Investimentos substituiu BB Seguridade ON por Rumo ON. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.