Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Top Picks: Analistas estão otimistas com fusão Localiza/Unidas, mas Cade é uma preocupação

Alto potencial de concentração do mercado será um problema para as empresas, que juntas, terão o controle de quase 65% do segmento de aluguel de automóveis em todo o País

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2020 | 21h00

Os analistas se mostram muito otimistas com os possíveis resultados de uma fusão entre Localiza e Unidas, anunciada pelas companhias essa semana. No entanto, há uma preocupação unânime em relação à reação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), principalmente no segmento de locação de veículos. Segundo apurou o Estadão/Broadcast, a operação realmente pode ter problemas no órgão, por conta do potencial de alta concentração.

Para Renato Hallgren, analista do Banco do Brasil Investimentos (BB-BI), a aprovação da fusão pelo Cade deverá envolver discussão sobre a participação de mercado em aluguel de automóveis (RAC, na sigla em inglês). Isso porque a nova empresa, se a fusão for aprovada sem restrições, terá aproximadamente 65% deste mercado em todo o País.

"Por outro lado, o segmento de Gestão de Frotas (GTF) deverá ser o mais beneficiado com a nova estrutura das operações combinadas. O potencial de crescimento no mercado de terceirização de frotas no Brasil é relevante e deverá ser o foco principal de crescimento da nova companhia, enquanto o RAC deverá se concentrar em setores com maior rentabilidade", afirma Hallgren.

Sobre a outra empresa do setor listada na Bolsa, a Movida, o analista do BB diz que ela pode até se beneficiar caso haja alguma exigência por parte do Cade em aluguel de carros. "A Movida tem um acionista (JSL) com potencial de alavancar o capital da Movida e impulsionar expansão das operações de RAC e GTF", completa.

Renato Chanes, estrategista de Pessoa Física da Santander Corretora, também não descarta que algum "remédio" seja imposto pelo Cade no segmento de RAC. "No limite, isso pode se tornar uma oportunidade para a Movida, já que o setor ainda é muito pulverizado e sem muito players relevantes capitalizados atualmente".

Na visão de Julia Monteiro, analista da MyCap, a Movida pode se beneficiar da possível redução da frota da nova companhia resultado da fusão entre as concorrentes em alguns municípios. "Porém, julgamos que em contrapartida a Movida contará com uma concorrência mais acirrada em função da melhora da estrutura operacional da companhia resultante da união", explica.

Para Henrique Esteter, da Guide Investimentos, a empresa resultante da fusão entre Localiza Unidas conseguirá oferecer preços mais competitivos tanto em aluguel de carros quanto em gestão de frotas, endurecendo a competição. "Mas este é um setor ainda em desenvolvimento no País e com espaço para que outras empresas, como a Movida, consigam seguir apresentando crescimento robusto", diz Esteter.

Nas carteiras recomendadas para a próxima semana, a Ativa Investimentos fez duas mudanças, trocando Camil ON e Ultrapar ON por B3 ON e Qualicorp ON. A Guide também fez duas trocas, com as saídas de Burger King ON e Hapvida ON para as entradas de B3 ON e Localiza ON.

Na MyCap, saíram Marfrig ON e PetroRio ON para as entradas de CSN ON e Suzano ON. A XP trocou JBS ON e Localiza ON por Movida ON e Weg ON. Por fim, a Mirae Asset fez somente uma alteração em suas recomendações, com a troca de JBS ON por Klabin Unit.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.