Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Top Picks: Após 2020 muito positivo, Magazine Luiza e Via Varejo devem entrar fortes em 2021

Gigantes varejistas se destacaram na Bolsa paulista e conseguiram lucrar mesmo na pandemia, apoiadas pelo crescimento das vendas nas plataformas digitais

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2020 | 21h00

As empresas mais voltadas para o comércio eletrônico se destacam na Bolsa paulista, a B3, desde o início de 2020, e esse movimento até se reforçou com a pandemia de covid-19. O motivo é sabido: a necessidade de isolamento fez com que as pessoas aumentassem o consumo via canais digitais. Para o próximo ano, os analistas do mercado financeiro esperam que estas companhias continuem entregando bons resultados e, consequentemente, maiores retornos aos acionistas. Neste contexto, Magazine Luiza e Via Varejo aparecem como suas preferidas.

Para Mario Roberto Mariante, analista da Planner Investimentos, a crise acabou acelerando alguns processos que estavam se desenvolvendo em um ritmo relativamente lento. "Setores que ainda não utilizavam, de maneira ativa, o e-commerce como canal de vendas e não queriam ficar para trás tiveram de acelerar o processo, com investimentos em tecnologia e digitalização, para compensar o fechamento das instalações e afastamento social".

Mariante diz que Magazine Luiza e Via Varejo entram em 2021 fortalecidas, "mas outras companhias também devem capturar os benefícios dos investimentos e deste novo nicho de mercado", afirma.

Regis Chinchila, da Terra Investimentos, afirma que as aquisições feitas recentemente pelas empresas mostrarão seus efeitos. "A Via Varejo buscou melhorar seus processos e, para isso, fez aquisições como i9XP e de uma participação na startup Distrito", diz. "O Magazine Luiza incorporou várias empresas, como Hubsales, Stoq Tecnologia, GFL Logística e SincLog. A B2W, por outro lado, adquiriu apenas a Supermercado Now".

Para ele, a Via Varejo tem bom potencial para 2021, com o avanço do processo de resolução de seus problemas operacionais. "Porém, uma empresa que merece destaque é a Petz", afirma Chinchila. "Além de ser nova na Bolsa, já apresentou grandes resultados no terceiro trimestre e deve se destacar bastante no próximo ano."

Para Ricardo Peretti, estrategista de renda variável da Santander Corretora para Brasil e América Latina, um dos destaques do e-commerce neste ano, de modo geral, é a maior velocidade na entrega de produtos, com os avanços em logística, e a atividade digital, com vendas pelo Whatsapp, por exemplo, com bom retorno.

"Apesar dos bons números para todas as varejistas online da nossa cobertura, destacamos a Magazine Luiza não só pelos seus resultados de comércio eletrônico, mas também pela recuperação saudável das vendas nas lojas físicas", diz Peretti.

Em relação às recomendações para a próxima semana, a Planner fez quatro alterações, mantendo somente Oi ON, e incluindo Bradesco PN, Eztec ON, Multiplan ON e Taesa Unit.

A Guide fez três trocas, tirando B2W ON, BK Brasil ON e Minerva ON para as entradas de Centauro ON, Magazine Luiza ON e PetroRio ON. A MyCap também fez três alterações, trocando Bradesco PN, Gerdau PN e Movida ON por Alpargatas PN, Bradespar PN e Marfrig ON.

O Daycoval trocou Omega ON e Petrobrás PN por Bradesco PN e Telefônica Brasil PN. A Mirae tirou MRV ON e Randon PN para colocar Indústrias Romi ON e Vale ON.

A Ativa tirou da lista Randon PN e Vale ON para as entradas de Klabin Unit e Rumo ON. Por fim, a Terra Investimentos trocou Lojas Renner ON e MRV ON por Carrefour ON e Marfrig ON.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.