Steven Senne/AP
Steven Senne/AP

Top Picks: Disney é destaque entre empresas internacionais indicadas por analistas

Segundo especialistas, companhia apresenta alto potencial de expansão, principalmente após o bom desempenho do seu serviço de streaming, o Disney+

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2021 | 04h00

Com as regras que facilitam a negociação de Brazilian Depositary Receipts (BDRs), equivalentes a ações negociadas na Bolsa de Nova York, corretoras e bancos começaram a fazer recomendações com as melhores opções de investimento para seus clientes. E entre as preferências, a presença mais comum é da Walt Disney, que segundo os profissionais, apresenta alto potencial de expansão.

Em sua carteira de BDRs para os meses de fevereiro e março, o Banco do Brasil Investimentos (BB-BI) lembra que mesmo com os efeitos da pandemia, a situação do grupo Disney se mostra ainda muito favorável.

Segundo o banco, o resultado trimestral apurado em janeiro deste ano conta com maior participação do serviço de streaming Disney+, e a empresa "já reporta retorno ao lucro, embora sofrendo forte aperto de margens".

O Disney+ é citado também por Ricardo Peretti, estrategista da Santander Corretora. Ele afirma que o streaming tem crescido mais rápido que o esperado, "reportando quase 95 milhões de usuários em fevereiro, acima da meta para 2023". Ele lembra que a empresa deve se beneficiar ainda da reabertura de seus parques a partir do segundo trimestre, conforme avança a vacinação nos Estados Unidos.

Em contrapartida, Marcio Loréga, analista técnico da Ativa Investimentos, ressalta que ações como Disney, Apple e Google subiram muito nas últimas semanas, e por isso, graficamente, não estão muito atrativas. Neste critério, ele indica Dell, Ebay, Twitter, Wix.com e Bank Of America.

"Todas têm grandes condições de manterem a boa performance e gerar oportunidades interessantes. Como os pontos de entrada (para compra) podem mudar, um acompanhamento mais próximo é bastante recomendável, até pela questão da liquidez", explica.

A Guide Investimentos tem entre suas preferidas duas empresas listadas em Nova York, mas que não são norte-americanas: a varejista argentina Mercado Livre e a mineradora anglo-australiana Rio Tinto, esta última beneficiada pelo ciclo recente de alta do minério de ferro.

Entre as americanas, o analista Henrique Esteter é outro que cita a Disney, mas também a petroleira Exxon Mobil, por conta da rápida retomada do preço do petróleo.

O Daycoval Investimentos também aponta uma empresa fora dos EUA entre as suas três BDRs preferidas, a chinesa Baidu. "Muitas vezes, a visão ocidentalizada, que conhece apenas o Google como ferramenta, negligencia a capacidade e volumes de empresas chinesas", explica o analista Enrico Cozzolino.

Em relação às carteiras para a próxima semana, o Daycoval Investimentos trocou Camil ON, Sanepar Unit e Tenda ON por AES Brasil Unit, Ambev ON e Itaú Unibanco PN. A Ativa promoveu as saídas de JBS ON, Magazine Luiza ON e Rede D'Or ON para as entradas de Klabin Unit, Petz ON e Sequoia ON.

Outras três corretoras fizeram uma mudança cada. A Guide tirou Cyrela ON para a entrada de Méliuz ON. A Mirae Asset trocou Gerdau PN por CSN ON.

Por fim, a Órama Investimentos retirou B3 ON para a entrada de Totvs ON. "A Totvs conseguiu emplacar mais um trimestre de resultados resilientes no final do ano de 2020 e acreditamos que esteja bem posicionada para continuar surfando este ambiente de dependência tecnológica que estamos vivendo", explica a equipe da corretora.

Veja a lista:

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.